Eleições 2020

Quais as propostas de Guilherme Boulos para a mobilidade na cidade de São Paulo?

Desde o dia 05 de outubro, o Via Trolebus vem divulgando as propostas das candidatas e candidatos à prefeita ou prefeito na cidade de São Paulo, e nesta quinta chegou a vez de Guilherme Boulos, candidato do PSOL. A série leva em conta as intenções dos candidatos no ponto de vista de mobilidade urbana nos planos de governo divulgados.

Veja também:

Boulos fala em criar uma autoridade metropolitana de transportes além de implantar gradativamente a tarifa zero, a começar pelos desempregados e estudantes. Diz que vai auditar ou renegociar os contratos vigentes das empresas de ônibus, e alargar calçadas, priorizando a mobilidade ativa (ciclistas e pedestres). Fala também em acelerar o processo de substituição da frota por veículos elétricos.

Confira as propostas: 

•Criar, junto aos demais municípios e governo do estado, uma Autoridade Metropolitana de
Transportes Urbanos da Grande São Paulo;
• Cumprir a Lei Nacional da Mobilidade Urbana. São Paulo deve projetar, coordenar e gerir o
transporte público e a mobilidade na cidade, incluindo planejar e determinar onde o metrô
será construído, sempre de acordo com o planejamento municipal e metropolitano;
• Implementar a Tarifa Zero, começando por assegurar a gratuidade a desempregados e
estudantes;
• Constituir um fundo municipal para o financiamento do sistema, com aportes de origens
diversas; renegociar o vale-transporte para torná-lo fonte de recursos para financiar o sistema como um todo e lutar no âmbito federal para tornar concreto o direito social ao transporte, previsto na Constituição;
• Auditar e renegociar os contratos existentes de modo a viabilizar a implantação da Tarifa
Zero. Enquanto isso, avançar numa política tarifária que seja cada vez mais subsidiada e
menos reguladora da demanda pelo sistema;
• Dispor de estrutura e procedimentos para auditar com transparência e independência os
contratos do sistema de transporte por ônibus. O modelo atual favoreceu as empresas em
detrimento dos interesses sociais, como, por exemplo, na forma de remuneração por “produtividade”, que é, na realidade, por maior lotação nos veículos;
• Por conta da pandemia, desinfectar os ônibus e dimensionar as ordens de serviço de operação para que se tenha uma ocupação máxima de um passageiro em pé por metro quadrado;
• Manter a política de redução de velocidades, comprovadamente eficaz na redução do
número de acidentes e da mortalidade no trânsito;
• Alargar calçadas, priorizando a mobilidade ativa;
• Planejar e aumentar segurança e qualidade do transporte de bicicletas, investindo na
criação e integração entre ciclovias, terminais de ônibus, estações do metrô e os demais
modais;
• Garantir infraestrutura de suporte para ciclistas na cidade, como bicicletários cobertos, no
entorno das estações desses transportes;
• Integrar os bicicletários com o sistema de Bilhete Único da cidade de São Paulo;
Revisar e aumentar o tempo das integrações com maior facilidade para emissão do Bilhete
Único;
• Discutir a implementação do escalonamento de horários de atividades na cidade como
método para reduzir a concentração de pessoas em horários de pico;
• Acelerar o processo de substituição da frota por veículos elétricos ou de outras energias
limpas;
• Concentrar na SPTrans todos os controles do serviço;
• Criar linhas que circulem dentro dos bairros, diurnas e noturnas. Ônibus noturnos são fundamentais para permitir usufruir tudo o que a cidade proporciona;
• Incentivo à economia solidária local, contribuindo para reduzir o fluxo pendular casa/
trabalho;
• Ampliar a conexão Wi-Fi nos ônibus, terminais e corredores;
• Ampliar corredores de ônibus com a infraestrutura necessária, pontos de ultrapassagem e
36
paradas;
• Estabelecer políticas que visem a denúncia, o combate e a eliminação de práticas de assédio sexual contra as mulheres nos transportes públicos;
• Os aplicativos de mobilidade permitem uma forma de renda para muitas pessoas em situação de pandemia e recessão. É preciso, porém, garantir direitos trabalhistas aos motoristas
explorados por empresas que, por sua vez, utilizam a cidade e seu viário como capital para
seu negócio e devem aumentar a sua contribuição para sua manutenção.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Tarifa zero para estudantes e desempregados é algo bem interessante, só me pergunto como será feita a fiscalização disso. A tarifa zero para toda a população é ilusória, não há como a prefeitura pagar por isso.

    Gostei da proposta de linhas entre bairros, isso ajuda a diminuir a lotação dos ônibus que vão para regiões centrais.

    • possivel até é colocar tarifa zero sim. a questao é que para isso, vc precisa de uma fonte alternativa ou aumento de impostos municipais. e quem fizer isso vai sair com a imagem muito desgastada politicamente, por isso ninguem faz.

      mas entendo que tarifa zero nao é algo tambem a ser feito na canetada ou do dia pra noite. é um projeto baseado em muito estudo e feito de forma gradativa. e começa diminuindo o subsidio pago a empresas de onibus.

    • Essas promessas referente a tarifa zero quanto aos estudantes e desempregados, são medidas já existentes desde 2014 em relação aos estudantes foi implementada no município desde a gestão Fernando Haddad (PT) e no Estado foi realizada gestão do Geraldo Alckmin (PSDB). desde que comprovem a necessidade via CadÚnico do governo federal, para que não possa haver fraudes.
      Em relação ao Desempregados também existe que foi implementado nessa atual administração municipal do Bruno Covas (PSDB) porém necessita comprovar alguns documentos e encaminhar a SPTrans caso alguém necessite é melhor ligar 156 e no Estado de São Paulo foi realizada na gestão Geraldo Alckmin (PSDB) tendo um prazo de 180 dias e em determinados horários pra usar os bilhetes.

  • A julgar pelo mundo da fantasia em que vive este candidato, suas propostas são apenas para inglês ver. Se eleito, fará a mesma lambança dos políticos alinhados com sua ideologia furada.

    • O seu negocio é eleger PSDB e PSL, centrão e direita….pq é seu lado politico….

      As propostas dele são bem ponderadas e possíveis de ser aplicado sim!

      O Candidato tem uma visão revolucionária!

      Talvez por priorizar a maioria que usa transporte publico e o ativo em detrimento aos individual, o senhor ficou descontente.

Publicidade

Anúncios