CPTM Trens Regionais

Túnel de 30 km deve abrigar trem que vai ligar São Paulo a Santos

A CPTM divulgou recentemente a conclusão de estudos para implantação do trem Regional que vai ligar a Capital Paulista a Santos, e diferentemente do que se pensava, a via férrea não vai seguir pelo traçado de Paranapiacaba. Segundo os estudos, foram analisadas 3 opções, sendo que a considerada mais viável, e provavelmente a escolhida será uma ferrovia que com um túnel de 30 Km.

Traçado

A nova linha deve sair da futura estação São Carlos, que será erguida para os trens da Linha 10 Turquesa da CPTM, que também terá integração para Linha 6 laranja do Metrô. Após o local, o trem seguirá paralelo ao Expresso ABC até a estação Prefeito Celso Daniel – Santo André. Posteriormente a ferrovia segue por um túnel de 30 Km, Serra do Mar abaixo até a cidade de São Vicente e depois chegando a Santos. De acordo com a CPTM, tal opção apresenta menores impactos ambientais, melhor opção para maior desempenho, porem com um maior custo em relação a opção de seguir pelo traçado original dos trens de carga que descem pelo sistema de cremalheira, de Paranapiacaba, até Cubatão. Esta última foi considerada desfavorável ambientalmente em relação as demais alternativas, e desempenho inferior, além de ter riscos consideráveis para implantação e operação. A terceira opção, descartada, propunha o traçado do trem paralelo a Linha 9 esmeralda, pela marginal Pinheiros até a futura estação Varginha, seguindo pela linha ferroviária existente até Evangelista de Souza, descendo pelo ramal Mairinque-Santos. Mas a ferrovia possui grande movimento de trens cargueiros. O trem regional deve ter integração com o VLT de Santos.

RegionalSantos_zps3674fbbf

Operação

A bitola usada para ferrovia será a de 1.435 mm e o tempos de viagem entre São Paulo/ABC será de 13 minutos. Já entre
São Paulo/São Vicente será de 30 minutos e São Paulo e Santos de 35 minutos. O intervalo entre trens no pico poderá ser de 15 Minutos, e a linha terá 88 Viagens por dia. Os trens terão 3 carros, sendo dois motorizados e um reboque. Cada carro será equipado com 4 motores. Cada composição terá a capacidade de 184 passageiros sentados. Estão previstos banheiros nos trens (mínimo de 2 conjuntos por composição), som interno e instalações para serviços de bordo. Os trens devem atingir a velocidades de 180 km/h.

Os estudos apontam ainda que o modal trará alivio do carregamento do Sistema Anchieta – Imigrantes, diminui o tempo de viagem nos deslocamentos São Paulo – Santos/São Vicente/Cubatão/Praia Grande, reduz as emissões veiculares, gases de efeito estufa e acidentes.

O banho de água fria é que não existe previsão para inicio das obras, muito menos de operação.

Confira os arquivos disponibilizados pela Agência Metropolitana da Baixada Santista.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    • Sera q sem o trem os tranqueiras ñ vão a praia kkkkkk absurdo pensar assim, o abvio q o trem melhora e muito né, independente de quem vai usalo, é no litoral ñ tem tranqueiras ñ ????????

    • Olá Ivan “” numa parte eu concordo com as suas palavras , mas vc já penso que numa possibilidade dessas poderá surgir portas de empregos , sim tem o lado bm é o lado ruim mas com td nos acostumamos ..

  • Melhor vir muitas tranqueiras pra cá , que pagar esse pedágio abusivo de 26 reais toda vez que descer pra Santos .. simplesmente uma “farra de pedágio “

  • Além da notícia ser de 2013, traz uma informação típica dos governos tucanos: “projetos” feitos no guardanapo do buteco, anunciados como factíveis.

    Santos possui uma única entrada para trilhos, que é Cubatão (e, do lado santista, o Jardim Bandeirantes e a Alemoa). Que é justamente por onde passa a Via Anchieta. Não se acessa a cidade com trilhos (ou qualquer tráfego pesado) por nenhuma outra rota, muito menos por São Vicente. A não ser, claro, que se desapropriem centenas de imóveis a um custo elevadíssimo e se traga o caos a áreas residenciais superadensadas… Ou, mais louco ainda, que se faça um túnel metroviário por todo o percurso insular…

    O anunciado túnel Santos-Guarujá padeceu do mesmo problema de “projeto” insano. Traria para o coração da área urbana santista (entre Macuco, Boqueirão e Embaré) todo o fluxo de carretas portuárias que usariam o túnel. Necrosaria mais de meia cidade, como se fosse a coisa mais normal do mundo.

    Mas por ora esqueçam, enquanto (até 2018) Geraldo Alckmin tinha Santos como sua segunda casa (política), visitando a cidade (oficialmente) quase semanalmente, João Dória declarou guerra contra a Baixada (que apoiou em peso o vicentino França no segundo turno).

    As coisas talvez mudem caso as prefeituras locais se tornem dorianistas em 2021. Por ora, tudo cancelado.

  • Recentemente foi feito um teste pela CPTM para analisar tecnicamente as condições das vias, embasando estudos que estão sendo realizados para a implantação do Trem Inter Cidades São Paulo-Santos, sem previsão de implementação. Até esta parte entendo como possível e viável.

    Com relação ao paragrafo “Trem Regional” se baseando em um estudo feito desde 2011 e que foi divulgado em 2013, e se encontra totalmente defasado, uma vez que é chamado desde sua criação o Expresso ABC é uma única linha central em 1,6m na Linha 10-Turquesa que vai de Sto André á Luz com parada somente nas estações principais sempre no sentido de maior fluxo de passageiros, é inviável esta alteração de bitola, e não existe espaço físico para mais uma linha, a não ser que seja feita a demolição de varias estações.

    Neste mesmo estudo daquela época que foi lançado, constava que esta mesma linha finalizava nas proximidades onde é hoje a estação Pirelli da Linha 10-Turquesa como terminal, sem utilização destas vias e não constava a utilização destas Estações São Carlos e ABC, em lugar serão?

    Continuo entendendo como inviável e descabida planejar linhas de trens regional em configurações divergentes das outras existentes, pois não existe justificativa técnico econômica que fundamenta esta afirmação a fim de se eliminar o máximo possível de transbordos para maior conforto dos usuários.

    Neste aspecto estudos atuais, que estão sendo realizados para a implantação dos Trens Regionais; Sorocaba, Americana, São José dos Campos, Santos não prevê que se utilize bitola divergente de 1,6m, que é também a bitola da Linha 10-Turquesa bloqueando a interpenetração criando-se bloqueios obrigatórios desnecessários, como esta locomotiva e suas composições, além de praticamente nenhum dos inumeráveis equipamentos de manutenção de vias entre outros não possam ser utilizadas.

    Com relação a este estudo mais moderno se refere a uma ligação concomitante rodo-ferroviária entre Parelheiros e Itanhaém, interligada com o rodo e ferroanel, planejado desde os anos 80.
    Vale lembrar que as duas linhas ferroviárias utilizadas pela MRS da antiga FEPASA para realizar esta ligação com o litoral já se encontra saturada, e possui uma demanda muito maior, o que torna inviável o uso para trens de passageiros.

    Sendo assim, existe a necessidade dos dois modais rodoviários e ferroviários serem construídos de forma concomitante, e os ferroviários utilizados de forma compartilhada inicialmente, pois somente após a demanda do trem de passageiros for suficiente se possa separar, em que num passado recente tivemos uma grande ferrovia que operava assim e era FEPASA, que era comparada a uma das maiores ferrovias americanas em operação, a AMTRAK, por isto mesmo era chamada de a “AMTRAK brasileira”.

  • como tem governos e sites q sonham, ñ conseguem terminar um monotrilho q já dura 10 anos em obras e que em um túnel d 39 km!! quanta ilusão!

  • Cara eu até achei Boa essa ideia de por um trem pra Santos igual ao metrô né pelo que eu entendi será por baixo da terra , sim vai ter muito custo eu creio mas por outro lado será bm melhor sendo que já foi comentado acima que o trânsito nas estradas será eliminado claro quem não quer descer pra Santos todos fim de semana numa boa num conforto agradável..parabéns aí ao engenheiro que está nos estudos dessa ideia ..sim será muito bm tbm que a velocidade da locomotiva ser a 180 muito bm ..mais uma vez parabéns pelo projeto.. sem mais

  • Gente.. imagina no feriado a tizumba que isso vai ser… vai ter 15 milhões de pessoas querendo descer pra santos e região… opss.. vou montar uma loja de água e picolé na praia.. bem pertinho da estação final.. vai ser lucro certo.

  • Tá na hora de botar essa ponte ferroviária São Paulo x Santos pra mobilizar de uma vez por todas!
    Já chega de ficar pastando no sistema Anchieta-Imigrantes com os seus habituais congestionamentos e pedágios (principalmente na Imigrantes)!

    • quem viaja td dia a trabalho ñ se preocupará com visual da serra, logo, há q se pensar na praticidade e ñ com o turismo, afinal, o pessoal q viaja diariamente entre Londres e Paris d trem enfrenta um túnel imenso, penso q quem utiliza o transporte a trabalho ñ se importa com visuais !

  • Seria o ideal, mas da maneira que as coisaqs andam no pais, talvez daqui a 50 anos. Quem viver verá… não esqueçam que até os anos 60 do século passado tinhamos um trem que trafegava até o litoral via Praia Grande da antiga Sorocabana. Não seria menos custoso, mais rápido e com mais serviços pois teriamos o atendimento da área da Praia Grande até Santos reaproveitando e modernixando essa linha morta?

  • Notícia velha.
    Tem malha ferroviária que passa por Parelheiros Varginha que usavam antes santos Jundiaí.
    Não fazem pq não querem e tem muita grana envolvendo a Ecovias que por sinal fatura milhões todo mês.
    Tudo conversa fiada.

Publicidade

Anúncios