Doria classifica como “bizarra” conexão da Linha 13 com Aeroporto

Atualizado às 19h35

O governador de São Paulo, João Doria, disse nesta sexta, 11,  que considera “bizarra” a ligação da linha 13 – Jade, da CPTM, com o Aeroporto Internacional de São Paulo.

“Não faz sentido transporte público que não leva até o aeroporto. É tão bizarro que é difícil de acreditar que isso tenha sido feito no estado de São Paulo”, disse Doria.

A linha foi entregue em abril pelo então governador Geraldo Alckmin, do mesmo partido de Doria. A estação Aeroporto fica a 2km de distância dos principais terminais do aeroporto.

Para Doria, a construção de um monotrilho ligando a estação aos terminais ou até mesmo uma esteira de 1,4 km seria uma das hipóteses para melhorar a conexão.

Hoje o deslocamento entre a estação e os terminais é feito por ônibus gratuito da concessionária.

Doria disse que conversou com o Governo Federal a respeito e disse que poderá propor a GRU, concessionária do aeroporto, uma extensão da concessão em troca de um monotrilho ligando os terminais e a estação.

Em nota à imprensa, a GRU Airport afirmou que a obra de ligação da estação aos terminais não faz parte de seu contrato de concessão e disse estar disposta a discutir a implantação de um sistema diferente do oferecido hoje, “desde que seja compatível com o plano de expansão do aeroporto e que seja mantido o equilíbrio econômico financeiro do contrato de concessão”.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

19 Comentários deste post

  1. Uma estação á mais seria o caminho mais lógico

    Fabiano / Responder
  2. Em Los Angeles a conexão é feita do metrô aos terminais também em ônibus, mas num percurso bem maior. Em comparação com esse exemplo, a nossa ligação é melhor. Mas não nego que um monotrilho fazendo essa ligação, como existe em outros aeroportos dos EUA, seria uma opção melhor.

    José Carlos Alves / Responder
  3. Concordo com o novo governado, infelizmente o Geraldo era muito ruim de serviço, não impunha respeito ou autoridade, faziam o que queriam, não se cumpria prazos, as obras eram mau acabadas, todas as obras do seu governo foram entregues com décadas de atraso, e mau acabadas, torço para que o Doria me surpreenda e recupere um pouco do muito atraso que o Geraldo deixou.

    Pedro Elvis / Responder
  4. Algo que acho que também bizarro na rede da CPTM, é a enorme distância entre Tatuapé e Eng.Goulart na Linha Safira sem nenhuma estação intermediária. Sendo que a Linha corta muito bairros adensados nesse trajeto, uma estação benefeciaria muito a população da região.
    Vale lembrar inclusive que já existiu uma estação fazendo isso, Engenheiro Trindade,mas que foi fechada e posteriormente demolida.

    Felipe Luchiari Velber / Responder
  5. Ele falou que é bizarro, gostaria de ver resultados, discurso não enche barriga, como diz os mais velhos.Não foi o Governador Geraldo Alckimin que não quis fazer e sim a Concessionária que ganhou a concorrência do Aeroporto proibiu o Governo fazer e prometeu ela fazer uma ligação sobre trilhos e não cumpriu,

    Adilio Faustini / Responder
  6. Ao menos ele tem noção, mesmo sendo novo na política, já que o picolé de chuchu em mil mandatos, deixou o crime organizado toar conta de SP, e mal investiu em transporte sobre trilhos e EMTU, bizarro e pouco, pra não xingar.

    Rodrigo Santos / Responder
  7. O engraçado é que por os terminais de ônibus municipais tbm as estações ficam longe, mas o governador não vê isso, mas como e o aeroporto pra os mais ricos , aí ele tenta arrumar, e os terminais!?

    Vítor Oliveira / Responder
  8. Finalmente podemos comentar! 🙂

    Josh / Responder
  9. Não vai voltar o esquema de ter que se logar nessa area de comentários, pq senão vai voltar os trolls como o tal de Felix….

    Renato / Responder
  10. Bizarro é ter de baldear de trem na Francisco Morato sr. governador.

    IVAN / Responder
  11. O problema é que o Dória não leva em consideração que este projeto foi modificado por imposição da GRU Airport, administradora do Aeroporto de Guarulhos. O projeto inicial tinha quase que uma ideia de que o passageiro sairia do trem logo no ponto de check-in. Porém, a GRU não permitiu isso pis alegou que no local onde seria feita a estação eles iriam construir um empreendimento (um shopping center), o que depois eles acabaram desistindo.

    Para piorar isso, a contrapartida foi no sentido de que a GRU iria fazer um sistema de monotrilho para resolver esse problema, sendo que o serviço de ônibus seria provisório. Porém, hoje a GRU não fala nada mais de monotrilho e o serviço de ônibus virou definitivo.

    Lucas A. Santo / Responder
    • Perfeito, quem conhece a história não comenta o que não sabe.

      Adilio Faustini / (em resposta a Lucas A. Santo) Responder
    • Então Sr Dória, se o senhor é tão empreendedor continua a linha pelos terminais, expande por dentro de Guarulhos, deixa algum legado para a população então, ou daqui a 4 anos faz o seguinte abandona tudo e se candidata a presidência tenho certeza que irás ganhar, deixou a prefeitura e virou governador né.
      Bizarro foi o Sr se vestir de gari e nos bairros a zeladoria estar precária. Acorda para realidade quem manda no traçado da linha é a GRU. Então antes de queimar seu partido faz melhor beleza.

      Thiago / (em resposta a Lucas A. Santo) Responder
  12. Enquanto isso, na China em Xangai, o centro da cidade é ligado ao aeroporto distante 36 Km em apenas 13 minutos. Direto, sem escalas e o desembarque acontece na estação de passageiros do aeroporto. Mas, no país Euro-Afro-Tupiniquim…….Saudações,

    Claudio Lemes Louzada / Responder
  13. Monotrilho não, pf!!

    Araújo / Responder
  14. Agradeçam à infraero que não permitiu que o governo do estado de SP construísse a estaçào da CPTM dentro do aeroporto. A concessionaria queria fazer um shopping. Agora, com um governo federal com a cabeça no lugar, depois de termos um desastre de inutilidades publicas federais por mais de uma década, espera-se agora que este absurdo seja corrigido. Alckmim fez o que pode. Bolsonaro fará seu melhor quando acabar com a infraero.

    Ed / Responder
    • Acredito que Bolsonaro estará amarrado no contrato mal feito no governo dilma e não poderá fazer muita coisa.

      Adilio Faustini / (em resposta a Ed) Responder
  15. Defender o Alckmin, sinto muito não da não.

    Rodrigo Santos / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.