Aviação

Boeing tem queda de 56% em entregas de aeronaves com a crise do 737-MAX

Com a atual crise em seu modelo 737-Max, a Boeing amargou prejuízos no fornecimento de aeronaves, sendo que no mês de maio a fabricante norte-americana entregou 56% aviões a menos na comparação com o ano anterior.

No mês passado foram 30 unidades entregues contra 68 em 2018, e as encomendas líquidas para os primeiros cinco meses permaneceram negativas, com um total de pedidos líquidos de menos 125.

O recente problema com o MCAS (Sistema de Aumento de Características de Manobra) está no centro das discussões do Boeing 737- MAX, depois de dois acidentes ocorridos em aparelhos com os voos da Lion Air e Athiopian Airlines, matando cerca de 346 passageiros.

O modelo segue suspenso nas operações do mundo todo, e a American Airlines cancelou seus voos com o 737 MAX até 3 de setembro de 2019, o que deve afetar aproximadamente 115 voos por dia. Anteriormente a companhia havia cancelado seus vôos com a aeronave até 15 de agosto.

Na América do Sul, a Gol e a Aerolineas suspenderam operação com o avião.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Assuntos

Anúncios

Cadastre-se em nossa newsletter!