Aviação

Justiça não aceita proposta da Azul pela Avianca

A oferta da Azul em adquirir ativos da Avianca Brasil foi rejeitado pela justiça. Segundo decisão do juiz Tiago Henriques Papaterra Limongi, da 1.ª Vara de Falência do Estado de São Paulo, não há legitimidade para invalidar o plano de recuperação aprovado anteriormente, que prevê o leilão de sete Unidades Produtivas Isoladas (UPIs) contendo os ativos da Avianca.

“Na qualidade de titular de crédito extraconcursal (a Azul tem a receber R$ 16 mil da Avianca), a embargante carece (…) de legitimidade para impugnar o plano de recuperação judicial homologado pelo juízo”, diz a sentença.

O plano de recuperação portanto está travado, uma vez que o leilão das UPIs foi suspenso, após questionamento de outros credores. A Latam e a Gol haviam se comprometido a ficar, UPIs por US$ 70 milhões. Um acordo foi estabelecido com a gestora americana Elliot, detentora de 74% da dívida de R$ 2,7 bilhões da Avianca Brasil.

O juiz afirmou ainda em sua decisão que a proposta da Azul dependeria de um leilão, em modelo semelhante ao da Latam e da Gol.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios