Metrô SP

6 fatos curiosos sobre a Linha 1-Azul do Metrô de São Paulo

1 – Primeira linha

A primeira linha do metrô. Quando começou a operar, o Metrô circulava apenas por 6,4 km, entre as Estações Jabaquara e Vila Mariana. É o primeiro Metrô do Brasil. Mas não é o primeiro da America do sul. O primeiro é o de Buenos Aires inaugurado em 1913.

2 – Estação Ponte Pequena

A estação Armênia antes era chamada de Ponte Pequena, como referência ao nome da antiga ponte da Avenida Tiradentes sobre o Rio Tamanduateí, que contrastava-se com a já demolida Ponte Grande, sobre o Rio Tietê. Em 12 de novembro de 1985, houve a alteração para o nome atual, em homenagem à colônia daquele país europeu na cidade de São Paulo, que ajudaram financeiramente na construção da estação.

3 – A terceira linha passando por Paraíso

Antes da reforma do piso da Estação Paraíso era possível ver próximo ao embarque no sentido Tucuruvi uma plataforma coberta. Tratava-se do Ramal Moema. Quando o metrô foi projetado, em 1968, ele previa a inclusão, além da linha Norte-Sul (Atual linha 1-Azul), de dois ramais: o Paulista (Atual linha 2-Verde) e o Moema. Este partiria da estação Paraíso e iria em paralelo à avenida 23 de Maio, até Moema. O projeto foi cancelado, no entanto cerca de 200 metros do ramal foram construídos e seu trecho inicial ainda pode ser observado, na estação Paraíso. Leia mais sobre

4 –  Extensão até o Jaçana

De acordo com a pesquisa de Tomas Martins, intitulada “Análise do desenvolvimento do Metrô em São Paulo” da FAU – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, o bairro de Jaçana teria uma estação de Metrô. Tratava-se de uma extensão da linha 1-Azul a partir de Tucuruvi.

Segundo o estudo, a crise dos anos 80 levara a um retrocesso de projetos de transportes. A Rede Básica de Metrô produzido em 1982 reflete tal fato, ao retornar praticamente ao desenho proposto pelo consórcio HMD (Hotchief-Montreal-Deconsult) da década de 60. O projeto previa extensões das linhas da Paulista até a região do Oratório, a linha Norte-Sul até o Jaçanã e mantendo o novo traçado da linha Leste-Oeste, que já estava em construção desde 1975.

De acordo ainda com uma reportagem do Estadão de 2011, o projeto contemplaria ainda uma extensão além do Jaçana, rumo ao Aeroporto de Cumbica feita por um corredor de trólebus.

5 –  Linha com maior número de estações

São ao todo 23 estações. A linha 1 é a segunda maior do sistema paulistano, com 20,2 km de extensão. Perde em tamanho para a 3-vermelha, esta que tem 22 km.

6 – Primeiro Descarrilamento

Em 1999, um trem que estava saindo da estação Santana no sentido Tucuruvi teve seu disco de freio solto de uma das rodas próximo à entrada do túnel. O disco agiu como cunha, tirando o carro 1025 do trilho, jogando-o contra a plataforma de emergência na lateral. Como estava em baixa velocidade, o trem parou imediatamente, e ninguém se feriu. Os danos na composição 02 (atual composição A02 – carros de A021 a A026) foram pequenos, mas, devido a problemas com a reposição de peças, o trem só voltou a operar dois anos depois.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

1 comentário

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Assuntos

Anúncios

Cadastre-se em nossa newsletter!