Aviação

Cerca de 400 pilotos de 737 Max estão processando a Boeing por falha no modelo

Mais de 400 pilotos que operaram o Boeing 737 Max estão processando a fabricante norte-americana por alegarem um “encobrimento sem precedentes” de “falhas de projeto conhecidas” no avião, e pelas perdas financeiras que enfrentam enquanto o modelo permanece em solo após dois acidentes fatais.

Uma ação coletiva foi apresentado contra a Boeing na sexta-feira “por perdas financeiras e outras decorrentes das circunstâncias e aterramento da frota MAX”, de acordo com os dois escritórios de advocacia que representam os pilotos, com sede em Chicago e na Austrália. O grupo fala que as perdas financeiras “devem chegar a milhões de dólares”.

A crise que envolve o 737 Max se estabeleceu depois de dois acidentes fatais, matando 346 passageiros.

Nos documentos judiciais, os pilotos alegam que a Boeing “se envolveu em um encobrimento sem precedentes das falhas de projeto conhecidas do MAX, que previsivelmente resultaram nas quedas de duas aeronaves MAX e subsequente aterramento de todas as aeronaves MAX em todo o mundo”, segundo o Australian Broadcasting Corporation (ABC).

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios