CPTM

Doria quer rever proposta de ressarcimento a passageiros da CPTM em caso de falhas

O projeto de lei que previa pagamento de cinco bilhetes unitários para cada usuário da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM, quando houvesse falha notável, ou seja, paralisações por um grande período, dev ser revisto pelo governador João Doria.

A ideia era de seu antecessor, Marcio França, e previa ainda pagar para cada passageiro um meio de transporte alternativo para completar o deslocamento. França chegou a dizer que a empresa deveria pagar táxis aos usuários prejudicados.

Doria pediu formalmente à Alesp – Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo que devolva o projeto de lei. A nova equipe de governo acredita que a proposta precisa ser reexaminada.

Aumento no número de falhas

A ideia do ex-governador veio em um momento onde o número de falhas no sistema sobre trilhos teve alta no número de panes, de acordo com informações do portal G1.

Tanto a CPTM quanto o Metrô de São Paulo registraram 35 panes entre janeiro e fevereiro deste ano. O índice representa um aumento de 150% na comparação com o mesmo período de 2018. Representa também o maior número registrado no primeiro bimestre em nove anos, na comparação desde 2011.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios