Metrô SP

E quando o sistema de recarga do Bilhete Único do Metrô esta indisponível?

No mundo moderno carregar dinheiro vivo é cada vez mais difícil. Tanto que os sistemas de transportes são dotados de validadores que autorizam a passagem através de smart card, que debita o valor da tarifa. Seguindo esta linha, é usual a recarga destes cartões por meio de pagamento em dinheiro eletrônico, ou seja, o famoso débito.

Agora o que acontece quando não se tem um centavo no bolso, e a maquina que recarrega o bilhete no débito esta indisponível? Foi o que aconteceu comigo nesta manhã de terça-feira (29): as maquinas de recarga do bilhete único na estação Bresser-Mooca, da linha 3-vermelha estava todas indisponíveis.

A solução: Caminhar até uma agência do meu banco que fica próxima ao largo da Concórdia, cerca de 1,5 km de distancia, a pé.

O resultado: 40 minutos de atraso no trabalho por conta desta “gentileza” do Metrô.

Falha em sistema paralisa recarga do Bilhete Único em São Paulo

Pesquisando na internet sobre esta situação, encontrei na coluna “Advogado de Defesa” do jornal da tarde a seguinte afirmação: “Estabelecimentos comerciais não podem exigir outra forma de pagamento dos clientes caso o sistema de cartão de débito e crédito esteja indisponível. Esse é o entendimento de especialistas e órgãos de defesa do consumidor” . Na mesma publicação, o texto diz que “o lojista só fica livre de qualquer prejuízo caso ele avise o cliente previamente de que o sistema está inoperante. Caso contrário, o cliente não é obrigado a pagar o produto ou serviço que adquiriu”, afirma Kássia Correa, advogada da Associação Nacional do Usuários de Cartões de Crédito (Anucc).

Mas, no caso de hoje não havia sequer um recado dizendo que o sistema estava indisponível. Ou seja, mais uma vez fui lesado por simplesmente querer pagar minha passagem. E o que é pior. Esta não é a primeira vez que isso acontece. Meses atras tive este mesmo problema na estação Sé (relembre aqui). Para minha sorte, era 7h00 da manhã e pude procurar uma agência nas imediações do centro velho. Já imaginou se fosse 23h30?

Apesar disto, não sabemos se esta norma se aplica as tarifas do transporte.

O que o Metrô diz

Procuramos o Metrô, que nos enviou uma nota dizendo que “realiza a concessão de espaço para a instalação de postos de venda do Bilhete Único em suas estações para empresas credenciadas pela SPTrans, responsável pela liberação de créditos eletrônicos para a comercialização”. A companhia diz ainda que reporta as falhas referente as demandas de queixas feitas pelos usuários, e caso não sejam cumpridos os índices de desempenho exigidos por contrato, essas empresas estão sujeitas a multas e até à rescisão de contrato.

No meu caso desta terça na estação Bresser-Mooca, o Metrô afirma que informou a empresa o problema, esta que por sua vez informou que a falha foi normaliza às 11h00. O Metrô disse ainda em sua nota que em caso de necessidade ou esclarecimentos, as três empresas concessionárias possuem canais diretos de comunicação:

Rede Ponto Certo: 0800 770 8850
Perto: 0800 648 2040
Prodata: 3253 9420

Outra questão levantada pela companhia é que eventuais problemas no sistema do Bilhete Único, gerenciado pela SPTrans, ou por defeito no próprio cartão podem travar o processo.
jonnyjorge-bilhete-unico

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Assuntos

Anúncios