Renovação de concessões pode tirar Ferroanel do papel

O projeto do Ferroanel Paulista pode sair por força de uma eventual renovação da concessão das empresas que operam o transporte de cargas sobre trilhos.

A ideia é de um novo modelo de concessão anunciado pelo secretário de coordenação do PPI (Programa de Parceria em Investimentos), Tarcísio de Freitas.

Uma medida provisória renovaria as concessões ferroviárias cobrando um valor pelo novo período de operação, na qual este aporte seria destinado aos projetos. “O fato dela fazer um novo seguimento não significa que ela vai ser dona daquilo. Ela vai fazer para o governo que depois vai definir o que fazer”, disse Freitas.

Além do Ferroanel, em torno da Região Metropolitana de São Paulo, e que deve desafogar a malha da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, está no radar do Governo Federal a renovação da Rio-São Paulo e de trechos da Rio-Vitória, trechos da Ferrovia Oeste-Leste (Fiol) e da Ferrovia do Centro-Oeste (Fico).

Armagedom

Sobre o projeto de uma ferrovia entre Brasil e Peru, a chamada Bioceânica, Freitas disse que “quem sabe em 2.450, depois do Armagedom”.  o_O


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

5 Comentários deste post

  1. Nada contra quem posta isso, mas cansei de falacias de falar que vai fazer isso ou aquilo, reunião aqui ali, e no fim não sai nada do papel piada, e isso ai do final foi uma piada de mal gosto, e querendo dizer que nunca sairá, triste.

    Rodrigo Santos / Responder
  2. É puxar o banquinho sentar e esperar, quem sabe agora sai.Em 14 anos de promessas anteriores nada saiu.

    Felix / Responder
  3. A Bioceânica é a maior furada. A revisão do projeto mostrou que a ferrovia ficaria mais tempo ociosa do que operando – em todos os ensaios de cenários ela é, e será deficitária por décadas. DÉCADAS.

    Hubner / Responder
  4. O argumento da ociosidade da ferrovia como justificativa para construir manter uma ferrovia é falso. Há milhares de quilômetros ociosos na Europa e mesmo assim são preservados. A China constrói ferrovias pois sabe que induz expansão econômica por onde passa. Ter uma passagem barata para o Pacífico pelo mato grosso, Bolivia e Peru seria uma vitória geopolítica que abriria vetores de expansão da riqueza por décadas.

    leo cadio / Responder
  5. – Não tem mais espaço para construção de via de carga no Rodoanel. (ideia primária do Ferroanel)
    – Boa parte das vias metropolitanas da CPTM não tem espaço lindeiro para terceira via apenas de carga.
    – Atualmente já existe uma espécie de “anel”, mas ele dá muita volta.
    – Há o projeto de ampliação do serviço de cargas de trens na região metropolitana, mas soa-me esquisito.

    Anonimato / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*