CPTM

Secretário confirma estudos da volta da Linha 10 na Estação Palmeiras – Barra Funda

A concessão da Linha 7-Rubi da CPTM junto com o Trem Intercidades São Paulo-Campinas, poderá segregar o atendimento ferroviário metropolitano que liga a capital paulista e Jundiaí, na Estação Palmeira-Barra Funda, a mesma parada inicial do serviço de trem regional de passageiros.

A possibilidade já havia sido revelada em uma apresentação realizada na 26ª Semana de Tecnologia Metroferroviária, promovida pela AEMESP em 2020.

Mas, se por um lado uma linha poderá ser segregada, outra poderá ser alongada até a grande estação. É o que diz uma resposta do secretário dos transportes metropolitanos, Alexandre Baldy, nas redes sociais. Baldy confirmou estudos para a volta da Linha 10-Turquesa em Palmeiras-Barra Funda. “O futuro, o ideal seria a Barra Funda com o maior número de Linhas utilizando-a”, diz o titular da pasta:

A resposta do secretário, no entanto, é divergente de um outro comunicado do próprio ex-ministro há um ano, quando descartou a extensão.

Barra Funda já teve trens em direção ao ABC

Um trem que partiria da estação Palmeiras-Barra Funda em direção ao ABC Paulista, rumo a Rio Grande da Serra. Este foi um comunicado do governo estadual emitido no dia 4 de julho de 2001, com a novidade a ser implantada no dia 6.

Na época, o novo serviço foi implantado após investimentos que a CPTM e a empresa da Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos, haviam realizado para recuperação da via permanente. Em 2001, as linhas era denominadas por letra ao invés de números, além da região que atendiam.

Segundo o mesmo comunicado, a extensão da Linha D beneficiaria 10 mil usuários por dia e permitiria um ganho de tempo de viagem de até 10 minutos gasto pelo passageiro, anteriormente, na transferência de linha na Estação da Luz (estação de entroncamento das linhas A e D). A CPTM também na época aumentou a frota para 14 trens, em vez dos 13 comboios que eram operacionais.

As linhas A e D, hoje 7 e 10, transportavam diariamente, em média, 306.296 passageiros. Hoje somente a Linha 10 transporta mais do que isso, na casa dos 370 mil, e a linha 7, mais de 450 mil. O intervalo entre composições era de 9 minutos nos horários de pico e hoje está na casa dos seis minutos.

Pouco tempo depois, a Linha D voltou para a Luz e depois foi cortada até o Brás.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    • Concordo e muito, soa um absurdo manter um bandido como secretário, toda aquela grana no apartamento dele ninguém explica. Mas o que esperar de um”jestor” que faz todas escolhas baseadas na politicagem, maldito BRT do ABC que o diga…

  • Não adianta ficarem falando em levar linha X, Y ou Z para Barra Funda, se a estação Luz e o trecho entre Luz e Barra Funda não comporta mais linhas, todo mês aparece um estudo que as linhas 10, 12 ou 13 vão para Barra Funda ou Luz. Eu ficaria mais animado se aparecesse que a CPTM estaria estudando modernização e ampliação do trecho, fora isso é só blábláblá.

  • Trens Metropolitanos sempre devem ser prioritários em relação aos TIC -Trens Intercidades, pois comprovadamente beneficiam um número expressivamente maior de usuários diariamente, desta forma é insensato se retirar a Linha 7-Rubi de sua chegada na Luz, da mesma forma a Linha 10-Turquesa, que possuem o mesmo número de passageiros, desta forma deveria ser planejada sua reunificação, esta importantíssima constatação deve ser levada em conta nos planejamentos do Plano Diretor e antes de se fazer quaisquer concessões precipitadas, para demonstrar isto vejamos os números;
    De acordo com dados da própria CPTM, foram as seguintes as demandas mensais das Linhas 7-Rubi e 10-Turquesa no ano de 2020;
    Fevereiro (antes da pandemia) – Linha 7- ~7.700 mil , linha 10- ~7600 mil
    Agosto (durante a pandemia) – Linha 7- ~5.070 mil , linha 10- ~4800 mil, ficando comprovado que não existe praticamente diferenças entre elas.
    As estimativas de demanda é de que o Trem Intercidades até Campinas, atinja no máximo 15% deste total o que perfaz 305 mil.
    Deveriam ser reunificadas as Linha 7-Rubi, e Linha 10-Turquesa (esta injustificável mutilação crescente foi após a criação da CPTM), a começar pelos sábados, domingos e feriados, com a remoção do Expresso ABC aos sábados, pois estas linhas sempre foram uma só como eram no passado com terminais em Francisco Morato / Pirituba, e Mauá / Rio Grande da Serra, a prioridade da reconstrução das Estações Lapa e Água Branca da futura Linha 6-Laranja do Metrô, Estação Bom Retiro, Nova Luz e Pari e a remoção dos cargueiros, esta reversão será perfeitamente viável também nos dias úteis, os gestores tem que entender que o investimento deve ser voltado para a construção e reforma das estações e não na troca de trens, embora a implantação de um sistema de sinalização seja um avanço, o CBTC (Communications Based Train Control), permite a redução no intervalo da linha com o consequente acréscimo de mais trens na operação, porém insuficiente, da mesma forma como a simples substituição dos trens como vem ocorrendo, e sempre dando prioridade para as linhas de maior demanda.

Publicidade

Anúncios