Monotrilho

Primeiro ano da Linha 15-Prata em São Mateus. Monotrilho deu conta do recado?

Há um ano, o monotrilho da Linha 15-Prata enfim chegava em São Mateus, após uma espera de quase 10 anos. A estação, que é anexo ao terminal de ônibus e serve o populoso bairro da Zona Leste em São Paulo, foi entregue em dezembro de 2019, e a partir do dia 06 de janeiro de 2020, passou a operar em horário integral, das 4h40 a meia noite.

A adoção do meio de transporte acabou gerando polêmica, pelo custo da obra, demora em sua implantação, embora os postergamentos não estejam ligados a escolha do modal em si, mas a problemas de exceção das obras, além de questionamentos sobre a demanda.

Alguns diziam que o monotrilho ficaria lotado cedo demais, por ter menos capacidade que um metrô convencional, e outros afirmavam que teria sido melhor construir um corredor de ônibus no lugar. A velha dicotomia rasa em discussões de mobilidade.

Em meio aos dozes meses, alguns eventos acabaram por prejudicar o crescimento no uso da Linha 15-Prata, como por exemplo, os quase três meses parados após o estouro de um pneu, além de claro, a pandemia da covid-19.

Foto: Metrô de São Paulo

Demanda

O fato é que o Metrô hoje não transporta nem de perto dos 300 mil passageiros previstos no trecho entre São Mateus e Vila Prudente. A média de usuários por dia útil no monotrilho ficou em novembro em 66 mil, segundo dados no site da operadora. A Linha 15 teve seu ápice no carregamento em fevereiro, quando transportou 116 mil em média por dia. Em junho, após a reabertura da linha, em um cenário já com pandemia, levou apenas 16 mil em média por dia, e esse volume vem crescendo mês a mês:

  • Janeiro – 98 mil passageiros (média/dia útil);
  • Fevereiro – 112 mil passageiros (média/dia útil);
  • Junho – 16 mil passageiros (média/dia útil);
  • Julho – 44 mil passageiros (média/dia útil);
  • Agosto – 52 mil passageiros (média/dia útil);
  • Setembro – 60 mil passageiros (média/dia útil);
  • Outubro – 64 mil passageiros (média/dia útil);
  • Novembro 66 mil passageiros (média/dia útil);
Foto: Eduardo Ganança

Falhas

Outro fator bastante questionado é sobre as falhas. Um levantamento feito pelo Via Trolebus com base nos alertas no site do Metrô e redes sociais, aponta que a Linha 15 teve uma explosão de ocorrências em janeiro e fevereiro, quando o monotrilho chegou em São Mateus, e depois uma redução. Teve uma piora em outubro e novembro, e uma outra redução em dezembro. As ocorrências correspondem a “falha em trem”, “interferência na via” e “falha no sistema de energia”:

  • Janeiro – 14 falhas;
  • Fevereiro – 12 falhas;
  • Julho – 2 falhas;
  • Agosto – 1 falha;
  • Setembro – 2 falhas;
  • Outubro – 7 falhas;
  • Novembro – 6 falhas;
  • Dezembro –  2 falhas.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

1 comentário

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Faltam informações sobre a ligação entre o Terminal São Mateus o a Estação São Mateus da Linha 15 prometido pelo governo do estado e até agora nada.

Publicidade

Anúncios