CPTM

Futura estação Mendes-Vila Natal da CPTM vista de cima

As obras seguem na futura estação Mendes-Vila Natal, no meio do caminho da extensão da Linha 9- Esmeralda, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM, entre Grajaú e Varginha, com 4,5 quilômetros de extensão.

O presidente da empresa, Pedro Moro, em suas redes sociais, postou imagens aéreas do local. O vídeo revela que ainda faltam a instalação das vias, rede aérea e também da construção de dois viadutos que vão eliminar passagens de nível:

Promessa de 2010

Em 2010, durante promessa de campanha do ex-governador Geraldo Alckmin, foi prometido a extensão. As obras só tiveram início em 2013, e de lá para cá uma série de contratempos acabaram por atrasar as construções. A nova promessa de entrega é para 2021.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Este governo do pmdb /psdb conseguiu acabar com nossa ferrovia de Parelheirros e depois de mais de trinta anos, não conseguem chegar até Parelheiros com a linha, são incapazes e quem sabe voltar a ter o trem até o litoral sul.

    • Parelheiros é área de proteção ambiental.

      Levar o trem para lá significa acabar com o que resta dos mananciais (que seriam totalmente desmatados e ocupados graças ao transporte facilitado) e deixar 8 milhões de pessoas sem água.

        • O Rodoanel é uma rodovia classe 0, sem acessos. Sem acessos, não há adensamento.

          Agora não dá para construir uma ferrovia sem estações e sem adensamento na região. Com adensamento, fim dos mananciais e de água potável para 8 milhões de pessoas na Grande São Paulo.

          • Como que uma linha de trem que vai passar a quilômetros de distância dos mananciais afetaria os mananciais? Porque essa linha iria provavelmente pela Sadamu Inoue, que fica bem longe das represas, ao contrário do Rodoanel, que chega a passar por cima da Billings. Na boa, Ivo, me parece mais mimimi seu pra impedir a criação de mais transportes pra população e justificar que o PSDB não faça nada naquela área.

        • Gabriel, consulte qualquer mapa hidrográfico de São Paulo e verá que toda Parelheiros é cortada por córregos e possui várias nascentes. Essas nascentes que alimentam as represas. Por isso que o Rodoanel custou mais caro, por ter de ser feito da forma mais ecologicamente viável (com vários elevados, sem acessos a bairros, com canalizações pontuais de alguns trechos de córregos,etc.

          Cada vez que alguém invade essa região, acaba com nascentes e córregos e a situação da represa fica pior. O trem em Parelheiros só facilitaria mais invasões e aceleraria o fim das nascentes, secaria vários córregos e os poucos que sobrassem ficariam tão carregados de esgoto que contaminariam as represas ao ponto delas serem inúteis para abastecimento. Sem as represas, São Paulo entraria em colapso.

          Mas continue aí falando de partidos político. Já reparou que só você fala em partidos aqui? Vai ver é paixão enrustida.

Publicidade

Anúncios