Recordar é viver

Como surgiu o primeiro Metrô do mundo?

O Primeiro Metrô do Mundo foi construído em Londres, há mais de 150 anos, no ano de 1863. O trecho inaugural tinha 6 quilômetros de extensão, que foram abertos seguindo o traçado das ruas do centro da capital inglesa, o que facilitou bastante as obras.

Já em 1990 o sistema se transformou em uma malha metroviária, com sete linhas e 84 estações. A construção desse novo sistema de transporte foi essencial para a cidade, que na época era a maior do mundo. O metrô londrino foi concebido para diminuir o trânsito da cidade. Em 1850, o trânsito de pedestres, cavalos e carroças era insuportável.

O criador do trem subterrâneo, Charles Pearson, afirmava que a única solução para os constantes engarrafamentos era, ou transferir o transporte coletivo para cima de viadutos ou para debaixo da terra.

Foram então que 3.500 operários começaram a arrancar casebres e barracos, deixando sem teto 12 mil pessoas, justamente da camada mais pobre da população.

Metrô a vapor

Naquela época a energia elétrica não estava amplamente instalada, e os trens subterrâneos de Londres começaram sendo movidos a vapor. Os gases eram recolhidos num vagão especial e só liberados fora do túnel. O sistema, entretanto, não era ideal, conforme noticiou o jornal Observer de 12 de janeiro de 1863:

“Apesar da excelente ventilação, os funcionários já começaram a sentir os efeitos negativos. Dois homens intoxicaram-se com o ar contaminado e tiveram que ser hospitalizados. (…) Infelizmente, é preciso reconhecer que o sistema de ventilação ainda não está apurado o suficiente. (…) Os passageiros terão que calcular com grandes desconfortos.”

Outras metrópoles seguiram o exemplo. Budapeste, Paris e Berlim aplicaram os conhecimentos dos pioneiros britânicos no transporte subterrâneo.

O sistema ainda teve um papel histórico, quando durante a Segunda Guerra Mundial, praticamente todos os cidadãos londrinos se refugiaram nos seus túneis durante os bombardeamentos alemães da Batalha da Inglaterra. Ao se esconderem nos túneis, os cidadãos conseguiram escapar a uma morte certa caso tivessem ficado à superfície (mesmo que fosse nas suas casas).

O sistema londrino ainda é um dos maiores do mundo com 16 linhas e 270 estações. A malha conta com 400 km de extensão, e o sistema por lá tem o apelido de Tube.

Nos dias atuais:

Artigos que inspiraram este post:

https://super.abril.com.br/mundo-estranho/como-foi-construido-o-primeiro-metro-do-mundo/

https://www.dw.com/pt-br/1863-londres-inaugura-o-primeiro-metr%C3%B4-do-mundo/a-297312

Fotos originais em: https://www.standard.co.uk/lifestyle/london-life/london-underground-history-vintage-photos-a3739076.html

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Renato, parabéns pela postagem. O que eu vejo de ponto negativo no metrô londrino é que as linhas antigas (The Tube), os trens são apertados e desconfortáveis quando cheios. Uma pessoa de estatura alta, como eu, não consegue viajar perto das portas. Mas no mais o sistema é ótimo. Por sinal, o sistema de transporte londrino (underground, overground, bus, light rail e Tramlink, atendem bem a cidade.

Publicidade

Anúncios