Monotrilho

Obras do monotrilho de Salvador seguem paradas por falta de licenciamento

Mesmo anunciadas em dezembro, as obras do monotrilho de Salvador ainda não começaram. O motivo seria falta de licenças, de acordo com o site Bahia Notícias.

A publicação credita a informação ao secretário de Desenvolvimento e Urbanismo de Salvador, Sérgio Guanabara. Haveria uma disputa entre dois grupos que dominam a política baiana.

Segundo o titular da pasta, faltam as licenças emitidas pela Superintendência de Patrimônio da União (SPU) e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

O meio de transporte vai ligar o bairro do Comércio, em Salvador, à Ilha de São João, em Simões Filho, município da região metropolitana. As obras devem custar cerca de R$ 2 bilhões.

Atrasos

Em agosto, a previsão era que as obras começassem em outubro. De acordo com o governo, a previsão de funcionamento da fase 1, que tem 19,2 quilômetros de extensão e 21 estações, é já é em 2020. Essa primeira fase deve ligar o Comércio a Cidade baixa de Salvador, atravessando o subúrbio e chegando até a Ilha de São João, em Simões Filho. O segundo trecho contará com mais cinco estações, ligando a região de São Joaquim ao Acesso Norte, onde acontecerá a integração com o metrô.

O monotrilho terá capacidade de transporte diário de 156 mil usuários. O projeto será tocado por meio da modalidade de Parceria Público-Privada – PPP, e terá seu material rodante fornecido e operado pela chinesa BYD, integrante do consórcio Skyrail Bahia, composto ainda pela Metrogreen.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Assuntos

Anúncios