Foto: Renato Lobo
VLT

Estado homologa empresa que fará segunda fase do VLT da Baixada Santista

O governo de São Paulo homologou a Queiroz Galvão para a construção da segunda fase do Veículo Leve Sobre Trilhos – VLT da baixada Santista, que deve ligar o Valongo até Conselheiro Nébias.

Serão mais 8 km de trilhos e 14 novas estações, que devem servir ao transporte de 35 mil passageiros por dia.

O prazo de conclusão do empreendimento é de 35 meses após a assinatura do contrato.

A expectativa da prefeitura de Santos, é que a extensão do VLT ajude a revitalizar o centro da cidade.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

1 comentário

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Excelente o sistema de VLT para as cidades brasileiras. Em lugares como Europa e Estados Unidos, muitos bondes foram preservados e modernizados para os sistema VLT. Em outras cidades desde o início deste século, foram implantados, trazendo melhoria e progresso ao transporte público.
    Sempre me pergunto: Quando um prefeito terá peito suficiente para enfrentar o lobby das empresas de ônibus que fazem o transporte público em São Paulo e teremos VLT aqui?
    Está claro que existe uma pressão incrível para que nenhum modal de superfície concorra com os ônibus, desde a década de 1960. Os corredores de ônibus seriam muito mais adequados se fossem operados por VLT, mais seguros, econômicos, ecologicamente corretos e muito mais baratos e rápidos de implantação que metrô e monotrilho. Além da parte técnica, há a simbólica, o bonde sempre foi um sistema muito querido pelos paulistanos. Esta é minha opinião. Vamos aguardar a coragem administrativas dos próximos prefeitos de São Paulo.

Publicidade

Assuntos

Anúncios