VLT

Governador do Mato Grosso fala em alterar VLT de Cuiabá por “outro modal”

Com obras paradas do Veículo Leve Sobre Trilhos – VLT desde 2015, o Governador do Mato Grosso, Mauro Mendes, admitiu a possibilidade do meio de transporte ser substituído “para outro modal“.

“Uma das alternativas que está sendo estudada nesse momento é converter o VLT para outro modal, fazer outra solução que possa ser mais barata e menos custosa, não só na sua implantação, quanto na sua operação”, disse o prefeito em entrevista ao Jornal do Meio Dia, da TV Record.

Um dos motivos seria o fato do sistema ser deficitário, e Mendes comparou o futuro meio de transporte com o Rio de Janeiro, que tem problemas no que diz respeito a subsídios. O sistema carioca corre o risco de parar.

“Temos visto estados como o Rio que adotou o VLT e corre o risco de parar porque a Prefeitura não está aguentando arcar com o subsídio e está faltando passageiro no VLT. Se no Rio falta passageiro, imagina aqui em Cuiabá”, afirma.

O projeto previa duas linhas de VLTs com 22 km de extensão e 33 estações, que atenderiam a 120 mil usuários por dia. Foram comprados 40 trens da empresa Caf, que atualmente estão parados em um pátio na região.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • O tanto que já foi gasto com essa obra, já seria uma temeridade em não finalizá-la.
    Só que, caso o estado de Mato Grosso decida mudar o modal (para BRT por exemplo) aí cabe algumas perguntas mas a principal é: o que o estado irá fazer com TODOS OS EQUIPAMENTOS JÁ ADQUIRIDOS (como o próprio VLT)? Descartar???

  • Até a cidade de Sobral no interior do Ceará conseguiu fazer o seu VLT e funciona superbem eu vi lá pessoalmente. Não é coisa de modal não governador é incompetência de governo mesmo!

  • Lamentável. Infelizmente, o agente público, o corpo técnico e a sociedade organizada não vê a implantação de um sistema de transporte público de qualidade como vetor de requalificação urbana, incremento e renovação de uso do solo e melhoria de qualidade do meio ambiente. O subsídio que sistemas como o de Cuiabá exigem são mal vistos, raramente comparados às economias indiretas que o serviço oferece e jamais confrontados com o subsídio velado que é dado pelo Estado ao transporte privado individual.

  • Eu sempre soube que o VLT era um sonho impossível para Cuiabá, devido ao seu alto custo, sendo que o poder executivo não teria condições de subsidiar para que o público tivesse acesso a esse transporte.

  • Qual modal será melhor que um VLT quase pronto, seria BRT,Metro, Trem, Monotrilho? Cada uma , acho que estamos palpérrimos de bons políticos .Tenha competência e coloque o VLT para funcionar.

Publicidade

Assuntos

Cadastre-se em nossa newsletter!

Cadastre-se em nossa newsletter!