Foto: Renato Lobo
CPTM

Concessionário das Linhas 8 e 9 terá que recapacitar trens e atualizar sistema de sinalização

Com previsão do edital de licitação de concessão das Linhas 8-Diamante [Júlio Prestes – Itapevi – Amador Bueno] e 9-Esmeralda [Osasco – Grajaú] da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM, para ser lançado em setembro deste ano, a empresa ou consórcio que ganhar a concorrência pública terá que fazer algumas ações de melhoria nos serviços.

Dados obtidos pelo Via Trolebus por meio de uma fonte aponta que o concessionário deverá recapacitar o material rodante das ferrovias a partir do décimo quinto ano da concessão.

A nova empresa não deverá, pelo menos no início de concessão que poderá durar 30 ano, comprar novos trens. As frotas deverão permanecer as mesmas que rodam atualmente, ou seja, série 7000 na Linha 9 e 8000 na linha 8. Outra obrigatoriedade do operador privado será a modernização dos sistemas de controle de trens e de energia.

Sobre a tecnologia que controla os comboios, eram previstos o CBTC para a Linha 8 e ATO para a 9, no entanto, os contratos foram suspensos.

Já para os passageiros, haverá aumento na oferta de lugares com redução do intervalos entre as composições. Uma das premissas será a melhoria da estrutura nas estações.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Assuntos

Anúncios

Cadastre-se em nossa newsletter!