Foto: Renato Lobo | Via Trolebus
CPTM

Trens da Linha 11-Coral correm risco de descarrilamento, diz empresa

Os trens da Linha 11-Coral correm o risco de descarrilarem na altura da Estação Antônio Gianetti, segundo um alerta da empresa Power Segurança, que presta serviços à Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM.

Segundo informações do jornal “Diário de Suzano“, a empresa emitiu alerta à Polícia Civil sobre os riscos. O motivo seria furto de grampos de fixação dos trilhos.

O risco dos trens saírem dos trilhos foi apontado por seguranças, quando prestaram depoimento na Delegacia de Suzano, após prisão de suspeitos de furto na ferrovia.

Para o técnico em Logística e transportes, Rodrigo Lopes, colaborador do Via Trolebus, o risco é eminente. “Nos trechos operacionais da CPTM, a fixação dos trilhos é indireta, ou seja: Os trilhos são presos por grampos, que são fixados em placas de apoio. Elas, por sua vez, são fixadas nos dormentes que fazem a parte de distribuir o peso e fixar a superestrutura da via permanente na plataforma ferroviária”, diz Rodrigo

Dormentes são as peças colocadas transversalmente à via férrea e sobre as quais os trilhos são fixados. Os dormentes podem ser feitos de madeira, conforme na maioria dos trechos da CPTM, bem como de concreto (Metrô em superfície e alguns trechos da CPTM).

A operadora não comentou o caso, segundo a publicação do Diário de Suzano.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    • Olá Sr. Davi. A CPTM utiliza um sistema de fixação que é um dos melhores que existem no Brasil. E, como qualquer sistema de fixação de trilhos do mundo, ele pode ser desmontado para a manutenção e troca dos componentes da via como dormentes, trilhos, juntas, cabos de sinalização, etc. O problema que acontece não é exclusivo da linha 11 da CPTM, isso se passa em todas as linhas ferroviárias de carga e passageiros do Brasil, só que não é divulgado.
      Se você clicar no link da matéria, eles explicam que o sujeitinho pulou um muro alto, para roubar, colocar em risco centenas de pessoas para pegar os grampos e vender a 30 reais e com esse dinheiro comprar drogas.
      Se prender esse cara com uma pena grande por risco de desastre ferroviário, aí eu quero ver se vai ter esse tipo de delinquente.
      O problema não é a fixação.
      Abraços

Publicidade

Anúncios