Tarifa

Haddad diz que precisa ser mágico para Passe Livre

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, disse nesta quinta, 12, que apenas um “mágico” seria capaz de implementar uma tarifa zero de ônibus na cidade. “Agora quer passe livre para todo mundo. Então é melhor eleger um mágico em outubro, porque prefeito não vai dar conta disso”, ironizou.

Haddad também cutucou a imprensa ao abordar esse tema. “Você não vai dar passe livre pra todo mundo? (questiona a imprensa)’. Dá vontade de perguntar como você tem a coragem de me fazer uma pergunta dessa. Passe livre pra todo mundo custa todo o IPTU da cidade. Eu precisaria pegar todo o IPTU da cidade, tirar da Educação, tirar da saúde, tirar da cultura”, argumentou.

“Eu não prometi passe livre na campanha, prometi Bilhete Único Mensal, faixa e corredor de ônibus. Fiz mais do que prometi, inclusive.”, disse Haddad lembrando que a Prefeitura já banca R$ 2 bilhões por ano em subsídio ao transporte público, sendo que são R$ 700 milhões apenas com o passe livre para 530 mil estudantes que conseguiram gratuidade.

Continuando irônico, o prefeito disse que há outras prioridades que deveriam ser gratuitas e não são. “Tem tanta coisa que podia vir na frente, podia ser almoço grátis, jantar grátis, ida pra Disney grátis. Começa a ficar uma conversa que você não sabe aonde vai dar”, disse.

Questionado se pretende revogar o aumento, ele disse que único caminho de diálogo futuro é com a aprovação de uma PEC que municipaliza a CIDE (Contribuições de Intervenção no Domínio Econômico).

“Tem uma PEC no Congresso Nacional que propõe a municipalização dos tributos que incidem sobre a gasolina. E a proposta dos prefeitos do Brasil inteiro, não é proposta de São Paulo, que essa PEC seja aprovada, porque nós teríamos uma fonte de financiamento para a tarifa de transporte público”, afirmou.

“É nossa recomendação para os movimentos que pleiteiam mais benefícios, hoje nós já estamos investindo R$ 2 bilhões em gratuidade para estudantes, idoso, desempregado e pessoas com deficiência. Se nós vamos ampliar as categorias, nós precisaríamos uma fonte de financiamento”, sugerindo que os manifestantes pressionem os congressistas para tornar o projeto viável.

Sobre o autor do post

Caio Lobo

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios