Greve

Greve de ônibus deixa 500 mil sem transporte no DF

20141107093045676060o

Uma paralisação, que atinge duas empresas de ônibus do DF, atinge 500 mil pessoas nesta manhã de sexta, 6. De acordo com o sindicato da categoria, as empresas Marechal e a Pioneira deixaram de repassar os salários e o tíquete-alimentação. O diretor do DFTrans, Clóvis Barbará, declarou que todas as organizações receberam em dia.

Com a greve, 2 mil rodoviários foram prejudicados e deixaram de circular em Ceilândia, Taguatinga, Vicente Pires, Águas Claras, Samambaia, Recanto das Emas, Gama, Santa Maria, São Sebastião, Paranoá, Itapoã, Varjão e Park Way.

Para entender como funciona o transporte de ônibus no DF, o sistema é dividido em 5 bacias:

A primeira delas é de responsabilidade da Viação Piracicabana e atende o Plano Piloto, Sobradinho, Planaltina, Cruzeiro, Sobradinho II, Lago Norte, Sudoeste/Octogonal, Varjão e Fercal.

A bacia 2 cabe à Piracicabana e atende Gama, Paranoá, Santa Maria, São Sebastião, Candangolândia, Lago Sul, Jardim Botânico, Itapoã e parte do Park Way. A bacia 3 atende Núcleo Bandeirante, Samambaia, Recanto das Emas, Riacho Fundo I e Riacho Fundo II.

A bacia 4 é de responsabilidade da Marechal e atende parte de Taguatinga, Ceilândia, Guará, Águas Claras e parte do Park Way. A bacia 5 é responsável por Brazlândia, Ceilândia, SIA, SCIA, Vicente Pires e parte de Taguatinga.

Sobre o autor do post

Caio Lobo

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios