Greve

Trens que rodaram durante a greve abrem portas em lado oposto à estação

Em meio a greve dos metroviários que atinge 3, das 5 linhas linhas da capital paulista, o Metrô acionou o plano de contingência para manter parte do sistema em operação. Os trechos entre Luz e Saúde da Linha 1-Azul, Ana Rosa a Vila Madalena da Linha 2-Verde e Bresser-Mooca a Marechal Deodoro da Linha 3-Vermelha operaram com o tal plano sendo que o trabalho é feito por funcionários da área operativa da empresa.

Em meio ao discurso do sindicato, os trabalhadores questionaram a ação do Metrô no que se refere a segurança da operação. Por outro lado, a companhia afirmou que não havia problemas, uma vez que este time de colaboradores era formado inclusive por equipes de treinamento dos operadores.

No entanto, foram registradas pelo menos duas falhas consideradas graves no sistema: dois trens abriram as portas do lado oposto à estação. Quem disse isso foi o presidente do sindicato dos metroviários, Altino Melo dos Prazeres durante a assembleia que decidiu a continuidade da greve.

Das 2 falhas, uma delas foi monitorada pelo perfil @UsuariosMetroSP, conta do twitter colaborativa, onde um trem da frota E abriu as portas do lado errado na estação Trianon-Masp:

BpfsFY2IQAAZ7MZ

Lembramos que falhas semelhantes tinha sido registradas pela frota K, porem o assunto é tratado como tabu pela companhia do metrô

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Assuntos

Anúncios

Cadastre-se em nossa newsletter!