Monotrilho

Edital da Linha 18 – Bronze é cancelado

E mais uma obra do Metrô não tem data pra sair do papel. Após atrasos e evento pomposo de lançamento, o Governo de São Paulo decidiu cancelar o edital da linha 18 – bronze, que ligará a estação Tamanduateí ao ABC, por monotrilho.

A obra seria feita por PPP e o TCE já havia solicitado a suspensão doe dital dizendo que a proposta estava beneficiando somente uma empresa, no caso a Bombardier.
Um dos motivos do cancelamento é que o Tribunal de Contas do Estado apontou que as regras foram mudadas após a publicação do edital.

O edital menciona a exigência de que os monotrilhos deveriam ter um grau de nacionalização (peças produzidas no Brasil) entre 40% e 60% do valor total.

Três semanas após o prazo final para a apresentação de propostas, o BNDES os índices de nacionalização entre 30% e 40%. Com menos peças nacionais, o preço do monotrilho deve cair, de acordo com o conselheiro do TCE (Tribunal de Contas do Estado) Roque Citadini, o que obriga a Secretaria de Transportes Metropolitanos a refazer o edital.

Para o TCE também havia muitos questionamentos em aberto sobre o valor da construção civil da obra.

E há ainda representações relacionadas ao impacto urbano que o monotrilho poderia causar, lembrando o famoso e sempre comparado “Minhocão”.

A Secretaria de Transportes Metropolitanos afirmou por meio de nota que “o governo acatou as recomendações do Tribunal de Contas do Estado e irá republicar o edital da linha 18 do Metrô”.

Ainda de acordo com a nota da secretaria, o objetivo do novo edital é “garantir a segurança jurídica e total transparência da licitação”.

O BNDES diz, por meio de sua assessoria, que só fixou os índices de nacionalização do monotrilho da linha 18-bronze no último dia 7 de maio, “depois de ter concluído com o rigor necessário todos os estudos técnicos correspondentes”.

Nessa data, a concorrência já estava encerrada -o prazo para a abertura das propostas era 16 de abril.

Segundo a assessoria do banco, o índice de nacionalização que consta do edital da Secretaria de Transportes Metropolitanos, entre 40% e 60%, nunca foi informado pela instituição.

Para o BNDES, a decisão de republicar o edital coube exclusivamente ao governo de São Paulo.
image

Sobre o autor do post

Caio Lobo

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios