Imagem de José Euvilásio do blog Linha Circular (http://linhacircular.wordpress.com/)
SPTrans

Divulgado ranking das empresas de ônibus mais mal avaliadas de São Paulo

O assunto transporte coletivo esta na ordem do dia, seja pela sua ineficiência aliada a cara tarifa que a população paga para usa-lo. Foi um dos motivos que levou milhares de pessoas a protestarem nas ruas. O tema mobilidade puxou todos os outros protestos em uma país que antes era conhecido internacionalmente como acomodado e mais ligado a assuntos supérfluos, como a novela das oito ou sobre o clássico de domingo do futebol.

Com esta pressão, a prefeitura de São Paulo esta mais atenta a este serviço prestado. Pressionada pelo Ministério Público, a SPTrans formulou um ranking de como este serviço esta sendo prestado. A lista foi divulgada pelo portal iG. Foram divididas entre as empresas permissionárias e concessionárias. Para chegar a este ranking, as empresas foram classificadas de acordo com o número de reclamações recebidas em relação ao volume de passageiros transportados.

As reclamações mais comuns são: superlotação, comportamento inadequado dos condutores, falta de paradas nos pontos, intervalo excessivo entre ônibus da mesma linha, más condições dos pontos e não realização de partidas.

Quem encabeça a lista, para surpresa de muitos inclusive a minha, é a Expandir – que pertence ao Consórcio Plus. A empresa que já operou trólebus, é responsável por levar a população da zona nordeste (entre a zona leste e a cidade de Guarulhos) para o centro. A viação do grupo Ruas teve uma média de 112 denúncias por mês no ano passado, segundo o levantamento. Este ano, o pico de queixas foi em janeiro (214). Em abril, o número caiu para 59 e voltou a subir para 120 em maio, longe da meta de 31 queixas mensais estipulada pela SPTrans.

Imagem de José Euvilásio do blog Linha Circular (http://linhacircular.wordpress.com/)
Imagem de José Euvilásio do blog Linha Circular

A Oak Tree (Consórcio Sudoeste) ganhou medalha de prata em serviços ruins, apresentando média de 88 reclamações no ano passado, pico de 155 queixas em março deste ano e meta de 28. Na sequencia ficou com a Novo Horizonte (Consórcio Leste 4), com média de 1072 reclamações em 2012. Como é uma das maiores frotas da cidade, a meta é que as reclamações mensais não passem de 262.

Na outra aparece empresas que prestam serviços na zona sul da cidade, como a Transkuba, a concessionária mais bem avaliada. Atuante na região sudoeste, sua meta é de 117 reclamações por mês, mas em maio último ela havia recebido 104 queixas. Ela é seguida pela Gatusa e Campo Belo.

c4c74b9e4efb73636e7077293c7a6378
Imagem de Leandro Matos, do site “Ônibus Brasil”

.

.

.

.

.

O levantamento foi organizado pela SPTrans, que desde o dia 28 de junho se comprometeu a se reunir uma vez por mês com o Ministério Público e com representantes das concessionárias e permissionárias para debater as queixas e traçar soluções para melhorar o transporte público. “A intenção é reduzir as reclamações ao longo do tempo”, afirma o promotor Saad Mazloum, que participou do encontro. “As companhias se comprometeram a apresentar soluções para as queixas mais frequentes.”

Veja a lista divulgada pelo Ig:

Concessão:

Expandir
Oak Tree
Novo Horizonte
VIP ´
Ambiental
Via Sul
VIP
Sambaiba
Transppass
Mobibrasil
Gato Preto
VIP
Santa Brígida
Cidade Dutra
Tupi
Gato Preto
Campo Belo
Gatusa
Transkuba

Permissão:

Nova Aliança
Fenix
Nova Aliança
Fenix
CooperLíder
Unicoopers
Transcooper
Transcooper
CooperPam
Transcooper
Cooperalfa
Coopertranse
Associação Paulistana
CooperPam

Com as informações de IG

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Assuntos

Anúncios