Monotrilho

Secretário de Transportes atribui atrasos na Linha 17 – Ouro a “luta politica”

A Linha 17 – Ouro, um monotrilho que vai ligar o Aeroporto de Congonhas à região do Morumbi em São Paulo, já está um ano atrasada. Quem atestou foi o próprio secretário de transportes metropolitanos, Jurandir Fernandes, de acordo com publicação da Revista Ferroviária. Jurandir criticou mais uma vez a questão do licenciamento ambiental como principal obstaculo à execução de obras metroferroviárias na capital paulista.

O secretário contou que uma das exigências para a instalação da Linha 17 é o detalhamento de todas as futuras estações – condicionante que não estava prevista na linha no monotrilho da Linha 2-Verde, que foi liberada após um ano e quatro meses de espera. “Isso vai atrasar os projetos básicos, executivos e contratações, e muito nos preocupa”, disse.

Itens como a criação de ciclovias ao logo da linha, bicicletários nas estações e sinalização das vias, não deveriam estar inclusos nas exigências. “Eu sei que são importantes, mas não entendo por que nós é que temos que construir. Muitas vezes não é a questão ambiental em si, mas os fatores agregados a ela que tomam tempo”, disse.

O secretário também afirmou que os grupos que fazem oposição ao monotrilho – como a Associação Sociedade dos Amigos de Vila Inah (Saviah), que conseguiu uma liminar contra a obra – acabam usando os condicionantes ambientais para entrar com impedimentos contra a obra. “Virou uma luta política”.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Assuntos

Anúncios

Cadastre-se em nossa newsletter!