Para reduzir custos, CBTU corta viagens em Maceió

O passageiro que usa o transporte sobre trilhos na Região Metropolitana de Maceió deverá esperar mais tempo pelas composições. Uma determinação da Companhia Brasileira de Trens Urbanos – CBTU, que passa a valer na segunda-feira, 16 de maio, faz com que sejam reduzidos as viagens diárias de trens e VLTs.

O motivo, de acordo com a Superintendência de Trens Urbanos de Maceió, é a redução de custos. Portanto, a capital alagoana passa a ter de 24 viagens diárias para 16.

Por meio de um comunicado à imprensa, a CBTU afirma que realocou partidas afim de que os transtornos no atendimento nos horários de pico sejam o menor possível.

A medida visa economizar combustível, redução do desgaste natural do material rodante, na manutenção preventiva e corretiva, além das horas extras de trabalhadores.

O Sistema de Trens Urbanos de Maceió é operado por composições a diesel em apenas uma linha ferroviária com 32 km de extensão, atendendo a 3 municípios, Maceió, Satuba e Rio Largo. Transporta cerca de 11 mil passageiros/dia.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

8 Comentários deste post

  1. na última matéria publicada aqui sobre esse vlt, a foto mostrava uma composição suja e com os painéis dianteiros desalinhados (em comparação com o da foto desta matéria)….
    Eles alegam redução do desgaste natural mas pode ser que não queiram admitir o precoce sucateamento da frota…
    gozado que isso vem pouco tempo após o anuncio de uma expansão do sistema…. estranho.

    Thiago / Responder
  2. Uma conta básica: 11.000 x 5 dias úteis = 55.000, considerando os sábados e domingos, esse modal transporta em média 270.000 passageiros/mês. A uma tarifa de R$ 3,50 (não sei o valor exato), deve ter uma receita de +/- R$ 947.000,00. Acho um valor muito baixo para manter um sistema desse. Claro que é necessário analisar a quantidade de trens, funcionários, enfim, parece que o sistema é extremamente deficitário….

    André Marianno / Responder
  3. Vamos aprender a diferenciar as modalidades. Sim, modalidade ou modo, e não modal, pois a palavra modal não é um substantivo, é um adjetivo. Trem da CBTU é trem metropolitano, não é um VLT nem um metrô, como os políticos dizem!

    José / Responder
  4. É bom aprender que o veiculo não faz o sistema. Um trem metropolitano pode ser operado por trens convencionais, por vlts, por trens com tração a diesel ou com tração elétrica. O que faz um trem ser metropolitano é atender a uma metrópole e/ou sua região e nada mais que isso. Lembrando ainda que o termo “metrô” tão divulgado como modal nada mais é que a abreviação de trem metropolitano. Portanto sua classificação não está errada. O veiculo certo para determinado sistema é o que é mais viável econômica e operacionalmente, e nada mais que isso.
    Óbvio que o serviço deve procurar atender seus clientes da melhor forma possível, não eximindo-se de suas responsabilidades frente a conforto e segurança.

    A CBTU não é nenhum exemplo administrativo, porém alguém já viu o custo do litro do diesel? É natural que com uma tarifa social e a diminuição de repasse de verbas por parte do governo (que nunca foi nem perto do ideal), os custos de se operar um sistema semi-sucateado, que passou por décadas de total abandono, se tornem ainda mais complicados e assim entendível tal decisão.
    Não é louvável, mas é entendível tal medida.

    • Realmente, não é o veículo que faz o sistema, cada sistema tem o seu veículo próprio. Metrô no Brasil, Subway nos EUA ou Underground na Inglaterra são as diferentes denominações que a modalidade metrô recebe. A denominação metrô realmente surgiu a partir da denominação trem metropolitano, mas as modalidades são muito diferentes, atendem a diferentes demandas e diferentes tipos de viagens, verifique nas cidades que têm as duas modalidades, como São Paulo. O VLT, então, nem se compara, é outro tipo de modalidade que atende a outro tipo de demanda e outro tipo de viagem. Se a tua cidade tem um trem metropolitano da CBTU não há demérito algum, provavelmente tua cidade tem a modalidade certa para o tipo de demanda que ela tem! E repito, gramaticalmente, a palavra modal não existe como substantivo, é um adjetivo, somente o leigos tratam a palavra como um substantivo.

  5. O dinheiro (bilhões de reais) que iriam melhorar o transporte nas capitais brasileiras, foram roubados ou enviados para construir porto em Cuba, Metrô na capital da Venezuela e também para outros projetos superfaturados em Angola e outros países governados pelos amigos do Lula !

    Dalmo Oliveira / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*