Seguindo as postagens sobre as novas linhas em estudos do metrô de São Paulo, hoje vamos falar da futura Linha 19 – celeste, que vai ligar o Campo belo até Guarulhos, passando pelo centro da capital, cujo esta sendo licitado os projetos funcionais dos dois trechos:

O primeiro trata-se da Ligação Pari – Guarulhos, que segundo o edital promoverá uma ligação radial na Região Metropolitana de São Paulo – RMSP, ligando a região central da Capital com a região nordeste.

Este primeiro trecho possui extensão aproximada de 14,6 km, cerca de 14 estações e trechos adicionais para manobra e estacionamento de trens após as estações Pari e Guarulhos (Tancredo Neves). O projeto desse trecho deverá oferecer flexibilidade suficiente para permitir sua implantação independente da implantação da futura Ligação Campo Belo – Pari, porém considerando a possibilidade dessas duas linhas virem a compor uma única linha, operando de Guarulhos a Campo Belo.

Estão inicialmente previstas 14 estações, destacando-se Pari e Dutra, futuros locais de integração com a rede metroferroviária. As estações Silva Teles, Catumbi, Vila Maria, Curuçá, Jardim Japão, Jardim Guançã, Edu Chaves, Fernão Dias, Itapegica, Castelo Branco, Guarulhos e Tancredo Neves possuem potencial para atendimento à demanda lindeira e para integração com o serviço de ônibus.

Já o segundo trecho, a Ligação Campo Belo – Pari, possui extensão aproximada de 11,7 km, cerca de 14 estações e trechos adicionais para manobra e estacionamento de trens após as estações Campo Belo. Estão inicialmente previstas 14 estações e integração com a Linha 5 – Lilás e com a futura Linha 17 – Ouro na estação Campo Belo, com a futura Linha 20 (Lapa – Rudge Ramos) na estação Hélio Pellegrino, com a Linha 2 – Verde na estação Brigadeiro, com a futura Linha 6 – Laranja na estação Bela Vista, com a Linha 3 – Vermelha na estação Anhangabaú, com a Linha 1 – Azul na estação São Bento e com a futura Linha 21 (Pari – São Miguel) do Metrô, linhas 10 – Turquesa / Expresso ABC e 11 – Coral da CPTM na futura estação Pari, passando assim a proporcionar flexibilidade de deslocamentos à toda área de influência da rede sobre trilhos.

Por Renato Lobo, com as informações de licitações do Metrô