Foto: Renato Lobo | Via Trolebus
CPTM

Qual o trem mais alto e mais leve da CPTM?

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM conta com ao todo doze frotas, sendo a mais antiga a 2100, operacional no Expresso Linha 10, que cobre o trecho entre Tamanduateí e Santo André, nos horários de pico. Os comboios foram fabricados entre os anos de 1974 e 1977, na Espanha, e começaram a operar pela CPTM no final da década de 90.

O mais novo trem é o da série 2500, que começou a prestar serviços em 2020, e leva o título de composição mais alta e um dos mais leve da operadora, segundo uma postagem da própria nas redes sociais:

Foto: Renato Lobo | Via Trolebus

Os 2500″s contam com itens diferentes das demais:

Contador de acesso nas portas

Trata-se de um dispositivo instalado em cada uma das portas que fica na parte superior.

Foto: Diário dos Trilhos

Bagageiros

Aquele que talvez seja o maior diferencial dos trens da série 2500. Estão localizados na parte superior do carro e nas pontas. Serão úteis aos passageiros que vão até o Aeroporto.

Foto: Diário dos Trilhos
Foto: Diário dos Trilhos

Bancos de metal

Os assentos nos trens são diferenciados. Os materiais são composto de uma espécie de metal.

Foto: Diário dos Trilhos

Mapas em display de led

Ao invés de um adesivo em cima das portas, o 2500 conta com um display de led com o mapa da linha e informações.

Abertura de portas pelo passageiro

Existe um botão em cada porta que serve para o passageiro abrir o equipamento. O sistema é usado, por exemplo, no VLT da baixada Santista. Mas a CPTM não deve usar o sistema a principio.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios