Mobilidade Urbana

Metrô, monotrilho e faixa de ônibus: as promessas para aliviar a Rodovia Raposo Tavares

A Rodovia Raposo Tavares (SP-270) começa do bairro do Butantã, zona oeste da cidade de São Paulo e termina na divisa de estado com o Mato Grosso do Sul, no município de Presidente Epitácio. Em um trecho de aproximadamente 30 quilômetros, a estrada se parece muito mais com uma avenida, cortando os bairros do Butantã em São Paulo e a cidade de Cotia. Por conta do grande volume de moradores nas áreas lindeiras, a Rodovia é a principal ligação entre a Zona Sudoeste da Região Metropolitana de São Paulo, e a capital paulista.

A via registra trânsito lento todos os dias da semana pelo alto fluxo de veículos, e não faltam projetos para melhorar o deslocamento por meio do transporte coletivo. Confira alguns deles:

Linha 22-Bordô do Metrô

O projeto da Linha 22-Bordô do Metrô consiste em uma ligação entre uma futura estação chamada de Rebouças na avenida de mesmo nome, até a cidade de Cotia, na Região Metropolitana de São Paulo. O novo eixo metroviário é bastante aguardado pelos moradores que moram em residências às margens da Rodovia Raposo Tavares, via que servirá como direção para o eventual novo ramal. O projeto passou a ser discutido na década passada.

Na notícia mais atual, o presidente do metrô, Silvani Pereira, afirmou em uma reposta na rede social em outubro de 2020, que a Linha 22 “será objeto de replanejamento futuro do Governo do Estado”. Não há prazo para conclusão do ramal, e outras linhas novas de Metrô estão na frente da fila, como a 19-Celeste e 20-Rosa.

Monotrilho e duplicação

Seis pistas de cada lado, o dobro do número atual, e sobre o canteiro central um monotrilho. É o projeto de R$ 1,5 bilhão, que foi estudo pela Agência Reguladora de Transportes (Artesp) para a Rodovia Raposo Tavares em 20 km do trecho de São Paulo a Cotia. A proposta era da da CCR, que como contrapartida teria ampliada em dez anos a concessão da rodovia, que termina em 2023.

Faixa de ônibus

Em 2015 a discussão sobre a instalação de faixas para ônibus nos trechos urbanos da rodovia ganhou holofote após a negativa do DER – Departamento de Estradas de Rodagem, órgão estadual, em fazer as adequações para viabilizar o espaço para os coletivos

A proposta era aumentar a velocidade média dos ônibus, de 8km/h para 20 km/h, beneficiando 133 mil passageiros que passam diariamente pelas 20 principais linhas. Seriam 10 quilômetros de faixas para os ônibus à direita nos dois sentidos.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • A duplicação só atrairia ainda mais carros no médio prazo. No curto prazo implantaria as faixas exclusivas, até o término da implantação de um transporte de massa, seja monotrilho, metrô ou trem.

  • Quando será que vai começar as obras do metrô? Estamos esperando as inaugurações das estações faz tempo e tá demorando muito. O trânsito da rodovia é caótico, quando pego ônibus somos tratados como sardinhas.

Publicidade

Anúncios