Pátio Jabaquara | Foto: Renato Lobo
Greve Metrô SP

Greve: Sindicato diz que Metrô de SP “negou catraca livre”

Em uma live promovida pelo sindicato dos Metroviários de São Paulo, um dos representantes disse que a companhia negou a possibilidade de uma greve com catraca livre. O modelo de paralisação seria com o sistema funcionando, mas sem o pagamento de passagem.

A entidade está em um movimento sindical, e promete parar as atividades nas Linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 15-Prata do Metrô de São Paulo nesta quarta-feira, 08 de julho de 2020. A greve, no entanto, ainda carece de uma aprovação por parte dos trabalhadores, e uma assembleia deve decidir o tema na noite desta terça-feira, 07.

A categoria afirma que o governo estadual quer cortar benefícios trabalhistas e congelamento de salários.

“Além da greve marcada, a categoria está realizando uma forte mobilização contra a retirada dos direitos históricos, com uso de coletes, adesivos e botons. A luta não é por aumento salarial, mas pela manutenção do Acordo Coletivo, dos direitos e do Plano de Saúde” –  diz a entidade em um comunicado.

Procurado pelo Via Trolebus, o Metrô não se manifestou sobre o assunto.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Isso só remonta como essas pessoas só pensam em seus próprios interesses escusos e agendas políticas, desprezando completamente a população e os trabalhadores que pagam seus benefícios.
    Ora, se diante da pandemia a iniciativa privada foi obrigada a demitir em massa, reduzir salários e jornadas de trabalho, por quê os deuses nobres do funcionalismo público (pagos com nosso dinheiro suado) devem ser diferentes? Tá na hora de acabar com este status quo, e privatizar logo essa empresa ineficiente e deficitária, como todas as estatais desse país.

    • Primeiro: Se você não quer lutar pelos seus direitos, você que não lute. Não venha com essa desculpa de crise. Isso aí é só uma desculpa que empresários deram para manter seus lucros exorbitantes. Agora a pessoa tem que se submeter a qualquer coisa? Deveriam cortar os benefícios de quem está por cima, não de quem está em baixo.

      Segundo: o metrô não recorre a ajuda estatal, é uma empresa que apesar dos déficits, não recebe dinheiro do estado. Mas sabe quem recorre mais que o metrô? A linha 4 e as linhas de ônibus, ambas operadas pela iniciativa privada.

      Se informar antes de comentar é essencial.

Publicidade

Anúncios