Recordar é viver

Ubatuba quase teve uma ferrovia que ligaria a cidade com Taubaté

Ubatuba é um município costeiro no estado de São Paulo, no Brasil, que fica no litoral norte do estado. Tem um pouco mais de 90 mil habitantes, de acordo com o IBGE. Mas no final do século XIX, foi idealizado a construção de uma ferrovia que ligaria Taubaté com a cidade.

Faria parte de um eixo ferroviário muito maior saindo do sul de Minas Gerais, passando pela Serra do Mar até alcançar o porto de Ubatuba. Seria uma forma de competir com o Porto de Santos, que é atendido por duas ferrovias atualmente.

No ano de 1889 autoridades privadas organizaram uma companhia, tendo capital de investimento milionário, com ajuda do Banco de Taubaté. Empresas inglesas forneceram o material necessário como os trilhos importados da Inglaterra, iniciando em seguida os trabalhos para traçar a linha ferroviária. Duas frentes de trabalhos foram abertas, uma vinda do planalto de Taubaté, enquanto um outro trilhava o caminho pela Serra do Mar, chegando até a perfurar a serra para os túneis.

O caminho partiria do Porto da Ponta Grossa, na Baía de Ubatuba, ao sul da cidade, seguiria 4 Km em trecho urbano e plano até a estrada do Monte Valério (região da Praia Dura), e a rota que seguiria a partir daí alinhada até o alto da Serra do Mar (Sertão da Santa até norte da Vila de Santo Antonio), chamado de Mococa, localizado a 854 metros de altitude. A transposição da serra seguiria em uma inclinação máxima de 3%.

O projeto previa 152 km de trilhos, com 48 túneis (sendo 43 sob rocha e 5 sob terra) e diversos viadutos. O ritmo da construção chegou a ser intenso.

Mas, por um motivo considerado desconhecido levou o governo a determinar o fim das obras. Falavam-se em pressão dos proprietários da São Paulo Railway, que temiam que a reativação do porto de Ubatuba prejudicasse seus negócios. Na época em que a obra foi paralisada, 84 km já estavam quase prontos, inclusive as pontes. Um trem que levava material para os operários já chegava às estações de Boracéia, Registro e Fortaleza, todas no município de Taubaté.

Foram ao menos três tentativas de se erguer o projeto. Restaram trilhos arrancados, reunias de estações, algumas cabeças de pontes e sulcos cravados nos morros. Alguns vagões de trens também foram abandonados na Serra do Mar e viraram atração turísticas para os aventureiros e trilheiros.

Pesquisa em: Curiosidades de Ubatuba.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios