Metrô

Tecnologia da Alstom prevê lotação em trem e estação com 30 minutos de antecedência

A Alstom apresentou uma nova versão da Mastria, tecnologia de supervisão operacional, que usa inteligência artificial para fornecer às operadoras e autoridades de transporte ferramentas aprimoradas de gerenciamento de frota e de fluxo de passageiros.

A medida permite que os operadores adaptem sua oferta com facilidade e em tempo real aos diversos protocolos de distanciamento social e para evitar aglomerações de pessoas, que surgiram devido à pandemia da Covid-19.

De acordo com a fabricante, a tecnologia agrupa informações de sensores de peso de trens, máquinas de bilhetes, sistemas de sinalização, gerenciamento, CFTV e redes móveis para ajudar os operadores a visualizar a distribuição e os fluxos de usuários.

A Alstom implementou Mastria para o Metrô do Panamá no final do ano passado. O objetivo foi analisar os fluxos de passageiros e oferecer uma maneira de evitar a saturação que apareceu em momentos imprevisíveis e apenas em determinadas estações.

Segundo a empresa, em apenas três meses, e graças a técnicas de aprendizagem profunda (redes neurais artificiais que permitem algoritmos de autoaprendizagem), a saturação localizada poderia ser prevista até 30 minutos antes que pudesse ser visivelmente observada, permitindo assim medidas corretivas que reduziram os tempos de espera nas estações em 12%.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios