Mobilidade Urbana

Quanto tempo o coronavírus sobrevive no metrô ou no ônibus?

O transporte público transporta uma grande quantidade de pessoas, e ainda que sistemas estejam registrando redução no número de passageiros, o ambiente ainda é um local considerado perigoso para a infecção. E os passageiros não estão livres mesmo evitando ao máximo segurar nos balaustres e barra de apoio.

O infectologista Guillermo Prada, ouvido pelo portal Pulzo, afirma que dependendo do equipamento que for infectado, o vírus pode sobreviver até 3 dias.

“O vírus pode durar até três dias em superfícies sólidas, seja de metal, vidro ou plástico…Portanto, se tocarmos em superfícies contaminadas com o vírus… mesa, corrimão, a maçaneta de uma porta, os canos onde as pessoas seguram … tudo isso pode ter vírus e se alguém não sabe que tocou uma superfície potencialmente contaminada e não banha imediatamente as mãos ou coloca álcool gel, pode contrair a doença “ –  afirma o estudioso. Já no ar, o vírus pode durar até três horas.

“Por exemplo, se eu entrar em um táxi e duas horas atrás uma pessoa com coronavírus estava tossindo e não tenho proteção, o vírus pode me infectar”, alertou.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios