Trens Regionais

4 viagens de trens de passageiros que ainda restam no Brasil

É muito comum ouvir relatos de pessoas que viajaram para a Europa, por exemplo, relatarem o deslocamento regional por meio de trens de passageiros. O Brasil já teve ligações ferroviárias entre as cidades, como por exemplo, entre São Paulo e o Rio de Janeiro.

Mas no final do século 20, muitas linhas foram suprimidas. Mas o Brasil conta ainda com algumas ligações, entre elas, ferrovias que interligam estados e que é possível viajar de Trem:

Estrada de Ferro Vitória a Minas

A ligação ferroviária que interliga a Região Metropolitana de Vitória, no Espírito Santo, a Belo Horizonte, capital do estado de Minas Gerais teve início no final do século XIX e tinha como objetivo inicial o transporte ferroviário de passageiros e escoar a produção cafeeira do Vale do Rio Doce e Espírito Santo. Mas seu foco foi alterado em 1908, passando a visar Itabira e escoar o minério de ferro extraído no município até os complexos portuários capixabas.

Trata-se do único trem diário de passageiros de longa distância do Brasil, e o trajeto é de 664 quilômetros. O trem para por 28 estações ao longo do caminho, e conta com serviço de bordo.

O trem cruza uma região com significativa quantidade de montanhas e rios e que tem como vegetação típica alternância entre Mata Atlântica e Cerrado, estando grande parte de sua extensão às margens do rio Doce, até chegar às praias capixabas.

Trem entre Curitiba e Morretes (PR)

A ferrovia que corta a Serra do Mar Paranaense conecta a capital do Paraná ao litoral e circula desde a inauguração da ferrovia, em 1885, quando nasceu para exportar erva-mate e madeira. O trajeto é de 75 km, sendo de três a quatro horas de viagem, e quatro estações.

O trajeto é pela maior área de Mata Atlântica preservada do Brasil, com a vegetação típica região como bromélias amarelas e vermelhas, brincos-de-princesa e manacás.

O trem ainda margeia as águas turvas do Rio Ipiranga e passa pela Ponte São João, que tem um vão de 112 metros de comprimento.

Estrada de Ferro Carajás

A Estrada de Ferro Carajás (EF-315), também conhecida pela sigla EFC, é uma ferrovia diagonal brasileira com 892 km de extensão, em bitola larga, operada pela mineradora Vale S.A.. Passa pelos estados do Maranhão e do Pará, ligando o Porto do Itaqui no município de São Luís (MA) a Marabá e Parauapebas (PA).

O mais longo percurso de trem de passageiros do Brasil leva 16 horas.

Os maiores trens do mundo trafegam na Estrada de Ferro Carajás. A maioria das composições chega a ter 330 vagões, puxados por três locomotivas, proporcionando o transporte de passageiros e cargas.

Como combustível, os trens usam o B20 – mistura de 20% de biodiesel vegetal com 80% de diesel -, diminuindo consideravelmente a emissão de CO2.

Expresso Turístico da CPTM

O Expresso Turístico é um projeto da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM, de um trem turístico que faz viagens entre a Estação da Luz, em São Paulo, e Paranapiacaba, Mogi das Cruzes e Jundiaí, com o objetivo de mostrar e divulgar a história das ferrovias e dos trens, os quais impulsionaram a capital e as cidades que fazem parte da malha ferroviária paulista.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Assuntos

Anúncios