Metrô SP Agora

Passageiros relatam longas filas para acessar a estação Capão Redondo, da Linha 5-Lilás

Passageiros que utilizam a Linha 5-Lilás do Metrô reclamavam nas redes sociais sobre lotação na estação Capão Redondo, na manhã desta terça-feira, 1º de outubro de 2019. Eram registradas longas filas, e algumas informações sobre falha no bilhete único:

Apesar das queixas, o site da ViaMobilidade, empresa que administra a Linha, não informou se havia restrições na operação dos trens.

Reforma

O Governo do Estado anunciou em julho obras de melhorias no acesso da estação Capão Redondo, da Linha 5-Lilás do Metrô. O objetivo é melhorar o acesso aos passageiros.

Os trabalhos serão focados na ampliação do espaço de entrada, implantação de uma passagem exclusiva para o terminal de ônibus e aumento do número de catracas. A área de acesso à estação será ampliada em 63%.

A escadaria da calçada será substituída por uma rampa, com ligação direta à área dos bloqueios, para oferecer acessibilidade a pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Já as máquinas de autoatendimento e recarga de bilhetes serão reposicionadas.

De acordo com o governo estadual, as mudanças contribuirão para aumentar a fluidez no embarque e desembarque em até 40%.

“Nosso objetivo é oferecer à população de São Paulo um transporte público eficiente, confortável e seguro. Além de investir na construção de novas estações, é preciso aprimorar aquelas já existentes”, disse o secretário dos transportes, Alexandre Baldy. “Nossa gestão aposta nas concessões e parcerias com a iniciativa privada para racionalizar custos e ter um serviço público de melhor qualidade. As mudanças que a ViaMobilidade fará na Estação Capão Redondo são um bom exemplo disso”, afirmou.

A previsão é de que as obras sejam concluídas na primeira quinzena de novembro deste ano. A linha 5-Lilás transporta atualmente 600 mil usuários por dia, 90% a mais do que em agosto de 2018, quando transportava 320 mil passageiros.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Sempre foi esperado um aumento expressivo no numero de passageiras nas estações da linha Lilás após a integração comas linhas 1 e 3. As obras de ampliação não podem atrasas e o sistema CBTC tem que funcionar 100% para que esse tipo de coisas não se torne rotina.

  • O problema são os bilhetes únicos, não as obras.
    Passei por lá hoje e estão avisando: Bilhetes únicos feitos em 2014 ou antes pararam de funcionar na data de ontem (30/09), prazo prorrogado em junho.

    • O Metrô estatal ainda é responsável pelos contratos de reforma da frota F, instalação da sinalização CBTC e das portas de plataforma. Nenhum desses contratos foi concluído. O estado entregou a Linha 5 inacabada para a concessionária e é isso que está causando problemas na operação.

      Só o estado pode concluir o que começou e enquanto as obras e contratos da Linha 5 não forem concluídos, os transtornos continuarão, cabendo indenização do estado para a concessionária pelos atrasos e transtornos.

      • Ou seja, o Estado tem que gastar dinheiro público pra fazer as obras pra depois dar tudo de mão beijada pra iniciativa privada ganhar dinheiro em cima. Que negócio bom… pra empresa privada! Pro povo, pelo que eu to vendo, não é!

  • Desde de fevereiro foi avisado que seria cancelado o bilhete único sem identificação ou antigo. Porém como sempre o povo deixa tudo para a última hora. Resultado, esse caos.!!

  • O problema é que o povo quer melhorias sem nenhum inconveniente.Só que esse mesmo povo quando faz uma reforminha em suas casas não quer reclamação dos filhos.Vai entender, eta povinho impaciente.

Publicidade

Anúncios