Foto: Renato Lobo
CPTM

Com a liberação da plataforma 2 no Brás, a CPTM vai lançar um serviço expresso?

Desde esta segunda-feira, 5 de agosto, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM, alterou o embarque e desembarque da Linha 10-Turquesa na estação Brás, sendo que o acesso aos trens passou a funcionar apenas na plataforma 1.

A medida resultou em queixas por parte de alguns usuários nas redes sociais. A CPTM, por sua vez, diz que a ação eliminou a necessidade de manobra das composições.

“Após a troca da frota por trens mais modernos e com melhor performance, a Companhia eliminou a necessidade de manobra no fundo na Estação Brás para o trem reiniciar viagem sentido Rio Grande da Serra. A partir desta segunda-feira (5/8), os passageiros da Linha-10 utilizam somente a plataforma 1 para embarque e desembarque. Com a renovação da frota o percurso de Rio Grande da Serra até o Brás foi reduzido de 56 minutos para 52 minutos.”, diz a operadora em um comunicado.

Seria implantado um trem expresso partindo da plataforma 2?

Rumores nas redes sociais apontaram que um serviço expresso seria implantado na via central da Linha 7-Rubi e que partiria do Brás. A informação, no entanto, foi descartada pelo presidente da empresa, Pedro Moro, em um encontro com sites e blogs especializados em transportes, no qual o Via Trolebus participou. Moro disse que não havia previsão de implantação desse serviço.

Uma outra alternativa seria a extensão do Expresso Linha 10 até o Brás. Atualmente o atendimento funciona no horário de pico entre Tamanduateí e a estação Prefeito Celso Daniel – Santo André, também pela via central, sem que tenha alterações no serviço parador.

Mas a companhia em nenhum comunicado confirma a medida. Nas redes sociais, a CPTM diz que a alteração é “foi realizada visando melhorias na via de serviço.”

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Pessoal da CPTM dá com uma mão algo para o pessoal do ABC (em especial da Linha 10 – Turquesa) e tira com outra. Quando o trem ia até a Luz e o embarque e desembarque era feito desta forma, constantemente eram vistos casos de confusões ocasionadas por empurra-empurra por conta de entrada e saída das pessoas. Sempre havia a necessidade de intervenção dos seguranças para apaziguar os ânimos. Mesmo que ocorra a continuidade do serviço expresso da linha 10 até o Brás, inevitavelmente haverá desconforto para os passageiros de ambas as linhas.

    Essa desculpa da “ausência de necessidade de manobra” me soa como ridícula, pois há espaça para tanto e as manobras não afetam o trafego de nenhuma das outras linhas que passam pela região.

    Mais uma vez o pessoal o ABC só perde com essas medidas da CPTM, do Metrô (que sabe-se lá quando vai dar algum sinal de vida no ABC depois da retirada da Linha 18 – Bronze, pois sequer há esboço de contratação de estudos para elaboração do traçado, coisa que com relação a Linha 19 – Celeste já está encaminhado) e por decisões do Governador.

    Realmente é lamentável, pois a linha tem um potencial de crescimento enorme e não se dão conta que pequenas medidas como essas fazem o pessoal pensar duas vezes antes de utilizar os serviços.

  • Faz uns meses, eu estava aguardando o trem das 0h00 pra Rio Grande da Serra no Brás e percebi uma composição da Linha-7 com letreiro Jundiaí estacionada na plataforma 1. Pedi informações pelo SIC da CPTM mas minha solicitação pelo número de testes realizados na Linha 7 partindo do Brás foi indeferida e arquivada.

  • A CPTM está “vendendo” essa alteração como melhoria, dizendo que o tempo de percurso diminuiu em 6 ou 8 minutos. Em conversa com uma atendente da CPTM, ela me explicou que essa diminuição do tempo de percurso ocorreu pelo fato de não necessitar fazer a manobra. Só um pequeno detalhe: o tempo de manobra não pode ser incluído no tempo de percurso, uma vez que não há passageiros à bordo.
    No meu ponto de vista, o tempo de percurso deve ser computado do momento em que o trem sai da estação inicial até o momento em que chega na estação final.
    Ou seja, propaganda “enganosa”.
    Na prática, o tempo de percurso é o mesmo….
    O resultado prática é causar mais desconforto para os usuários. E isso é muito mais visível nos horários de pico, quando as pessoas que trabalham no ABC pegam o trem sentido Brás e muitas pessoas que moram no ABC e trabalham na capital pegam o trem sentido ABC. Imaginem a cena: o trem chegando lotado na estação Brás e muitas pessoas aguardando na plataforma para embarcar para o ABC…..
    A CPTM parece que não aprende: estações terminais com grande fluxo de pessoas, o embarque e desembarque devem ser feitos em plataformas diferentes. É assim na estação LUZ, é assim no metrô Barra Funda, Itaquera….

Publicidade

Assuntos

Anúncios

Cadastre-se em nossa newsletter!