Foto: Renato Lobo
CPTM

Redução no intervalo entre trens era previsto em todas as linhas da CPTM

O Governo do Estado diz que até 2022, a Linha 10-Turquesa, da Commpanhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM, terá um novo sistema de sinalização instalado, o CBTC (por sua sigla do inglês Communications-Based Train Control), em português sistema de Controle de Trens Baseado em Comunicação, capaz de reduzir o intervalo em 3 minutos.

O anúncio foi feito após uma reportagem da TV Globo mostrar que equipamentos da nova funcionalidade estão estocadas sem uso. Há uma investigação do Ministério Público em curso que apura as causas, que já até ouviu ex-diretores.

As peças foram adquiridas no final da década passada, e serviriam para reduzir o intervalo, e por consequência, diminuir a superlotação. Com a tecnologia é possível, por exemplo, colocar mais trens na operação.

Atualmente, a malha da empresa trabalha com o seguinte intervalo no horário de pico:

  • Linha 7-Rubi: 6 minutos (trecho Francisco Morato- Luz);
  • Linha 8-Diamante: 5 minutos (trecho Itapevi – Julio Prestes);
  • Linha 9-Esmeralda: 4 minutos (trecho Pinheiros-Jurubatuba);
  • Linha 10-Turquesa: 5 minutos (trecho Mauá-Brás);
  • Linha 11-Coral: 4 minutos (trecho Luz-Guaianazes);
  • Linha 12-Safira: 6 minutos;
  • Linha 13-Jade: 20 minutos*

No horário de vale, os intervalos são maiores, já que o fluxo de usuários é menor.

Estação Santo Amaro – Linha 9-Esmeralda da CPTM | Foto: Renato Lobo

Além da Linha 10-Turquesa

A reportagem cita a Linha 10, no entanto, a CPTM adquiriu tecnologias novas também para as demais ligações ferroviárias.

Os prazos para as mudanças do sistema que gere as composições foram dados a partir de 2007, e até 2012 todas as ligações ferroviárias deveriam contar com a nova funcionalidade.

Em 2007, a Companhia fechou financiamento do Bird para implantar o chamado ATC nas linhas 7-Rubi, 9-Esmeralda e 12-Safira no valor à época de R$ 200 milhões, ganho por o consórcio formado por Efacec e Union Switch. Nessas linhas, o intervalo entre os trens deveria ter caído para 4 minutos no fim de 2010, mas houve atrasos sendo que apenas a linha 9, que teve a sinalização instalada, tem este intervalo nos trecho entre Pinheiros e Jurubatuba no horário de pico.

Já em 2009 a CPTM assinou um contrato de € 280 milhões com um consórcio formado pelas espanholas Dimetronic e Infoglobal e pela brasileira MPE Montagens e Projetos Especiais. Este contrato previa a implantação do CBTC nas linhas 8, 10 e 11.

O que diz o governo?

“O equipamento do CBTC, como reconhecemos sua existência para as linhas as quais eles foram adquiridos e estão em processo de implementação. como bem disse, outros investimentos são necessários, e esses investimentos estão sendo avaliados e serão realizados”, disse Alexandre Baldy, secretário dos transportes metropolitanos.

(*) Os contratos descrito neste texto não correspondem a Linha 13-Jade.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Assuntos

Cadastre-se em nossa newsletter!