Foto: William Molina
Greve

Metroviários de São Paulo entram em estado de greve

O sindicato dos metroviários decretaram estado de greve, já a partir desta sexta-feira, 12 de abril. De acordo com a categoria, duas rodadas de negociação com o Metrô não foram produtivas. “O Metrô insiste em reajuste zero, retirada de vários direitos do Acordo Coletivo e fim do Plano de Saúde do Metrus”, afirma a entidade.

Os representantes dos trabalhadores, no entanto, ainda não falam em paralisar as atividades, o que afetaria a operação nas Linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 15-Prata. Já é possível ver alguns colaboradores usando coletes que indicam o movimento de negociação.

Devem ser promovidos encontros com os passageiros, chamados de “café com usuário“, nas estações Tatuapé e Jabaquara, para colher assinaturas contra a reforma da Previdência, do governo federal.

No próximo dia 17 de abril está previsto uma nova reunião de negociação com a empresa. O grupo ainda deve participar do 1º de Maio Unificado, a partir das 10h, na Praça da República.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • ”Devem ser promovidos encontros com os passageiros, chamados de “café com usuário“, nas estações Tatuapé e Jabaquara, para colher assinaturas contra a reforma da Previdência, do governo federal.”

    E quem disse que sou contra a reforma, não sou do setor publico, muito menos a favor de greve, que me prejudica isso sim, piada.

    • Se o Sr. se informasse saberia que os funcionários do metrô são contratados no regime CLT e se aposentam pelo INSS, não pela previdência do estado. Com certeza tem muita gente contra essa reforma pra assinar o documento.

  • Obrigado metroviários pelo esforço em despertar a população quanto a essa arbitrariedade que é essa “deforma” da previdência. Todo trabalhador tem que ser informado do quanto essa deforma irá prejudicá-lo.

Publicidade

Anúncios