Divulgação, rede social
Monotrilho

Urgente: Trens do Monotrilho se chocam em São Paulo, sem feridos.

A história dos monotrilhos em São Paulo é conturbada desde sua concepção, isso é fato. Mas desde a inauguração do trecho entre Oratório e Vila União, a Linha 15-Prata do Metrô vem enfrentando falhas diárias, inclusive com um episódio inédito de peças se soltarem do terceiro trilho, deixando a via com restrições de circulação nessa terça, 29/01.

Entretanto, a “maré” parece ainda não ter melhorado. Aconteceu nas últimas horas do dia 29/01, um acidente de uma relativa proporção envolvendo dois trens do Monotrilho, M22 e M23, em um trecho não operacional e sem passageiros, na futura estação Jardim Planalto, onde os trens realizam a manobra de retorno durante a operação comercial. Sem maiores informações detalhadas, que serão publicadas de acordo com as divulgações.

Enquanto isso nas redes sociais, seguem sendo republicadas a imagem dos trens batidos sobre a via. Não há nenhuma informação a respeito da causa, nem da retirada dos trens. Muito menos sobre o impacto que isso pode ocasionar na operação comercial dessa quarta, 30/01.

Edit1: O Metrô através do Twitter informou que foi aberta sindicância “para apurar as causas do acidente“.

Edit2: Confira nota na íntegra do Metrô:

“Por volta das 23 horas, um trem da Linha 15-Prata que seguia vazio para uma área não operacional, onde são realizadas manobras, colidiu com outro trem que estava parado na plataforma da estação Jardim Planalto, que não recebe usuários. O Metrô abriu sindicância para apurar as causas do acidente.”

Imagem que circula nas Redes Sociais – Trens se chocam em Jardim Planalto

 

Imagem que circula nas Redes Sociais – Trens se chocam em Jardim Planalto

Sobre o autor do post

Rodrigo Lopes

Paulistano, formado em Logística e graduando de Tecnologia em Transporte Terrestre, sempre gostou de transportes e tudo o que envolve a mobilidade, transportes e planejamento urbano. Participa de projetos relacionados a preservação ferroviária, transporte não poluente e gestão pública. Criador do Boletim do Transporte em 2011, desde Abril de 2018, colabora com o Via Trólebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

    • Também acho que o trecho merecia um metrô convencional, bruto mesmo igual na avenida Cruzeiro do Sul, mas com certeza encheriam o saco falando de poluição sonora, visual e blá blá blá.

  • Ontem quando eu acessei o mini trilho, tinha ouvido conversas internas via rádio que o M22 já estava apresentando falhas, no entanto estava sendo operado por um funcionário manualmente, misericórdia privatiza logo essa empresa.

  • Ontem quando eu acessei o mini trilho, tinha ouvido conversas internas via rádio que o M22 já estava apresentando falhas, no entanto estava sendo operado por um funcionário manualmente, misericórdia privatiza logo essa empresa.

    • Dia 28/01/2019, anteontem, houve descarrilamento na Supervia. E aí? privatiza ela também? não, péra! Ela já é privada né…
      O problema desse país inteiro não é o sistema de gestão, se é público ou privado, o problema é mais profundo e inclui essa maldita mania de fazer as coisas pensando em economizar, pensando em politicagem, em apadrinhados e em tirar o máximo de proveito da situação. Não fazem usando conhecimento técnico. Vide o caso de Brumadinho, Adianta a Vale ser empresa privada?
      Esse monotrilho já deu muita dor de cabeça, tudo começou errado desde o projeto. E o pior, ninguém dá o braço a torcer. Se você disse que ontem havia um funcionário operando manualmente o trem M22, certeza que foi alguém que mandou ele fazer isso. Agora, o que eu vi foi que o trem entrou em uma linha onde já havia outro trem, e isso me parece falha de equipamento CBTC ou erro do CCO.

Publicidade

Assuntos

Anúncios

Cadastre-se em nossa newsletter!