Será que o projeto de trem intercidades vai realmente sair do papel?

O projeto de trens regionais foi apresentado para a população lá no começo da década, no inicio da gestão do ex governador Geraldo Alckmin. Sem um prazo concreto, e passado quase uma década, a equipe do novo governador, João Doria, reapresentou o meio de transportes novamente tratando o tema como prioridade.

Confira nosso 29º vídeo no canal do Via Trolebus no YouTube:

As promessas não mudaram, tão pouco o trecho prioritário, ou seja, o eixo que será construído primeiro: Entre SP, Campinas e Americana.

Há no entanto, estudos por parte da CPTM que a malha de trem regional poderia atender a 137 cidades, conectando São Paulo por exemplo com São José do Rio Preto, Bauro e Caraguatatuba:

Estado estuda Malha de Trens Regionais que atinge 173 municípios, como São José do Rio Preto e Caraguatatuba

Mas se a ferrovia entre São Paulo e Campinas ainda é vista pelo passageiro como sonho distante, o que dirá toda esta malha.

O novo secretário de transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, em entrevista a Rádio CBN de Campinas disse que em fevereiro será definido o cronograma de implantação do projeto.

Já há conversas entre Estado e União. Estas tratativas são necessárias porque o governo federal detêm domínio sobre a ferrovia. O trem de médio percurso deve seguir pela malha atual, o que pode acelerar sua implantação.

Após vencidos estas etapas de negociação, será feita a concessão, já que o trem será tocado e operado pelo setor privado.

Segundo ainda o secretário, estações da Linha 7 serão remodeladas para abrigar o meio de transporte de média capacidade, como Palmeiras Barra Funda, Francisco Morato e Jundiaí.

Agora é esperar e torcer para que este projeto saia do papel já que é urgente alternativas ao modal rodoviário nas ligações entre as regiões metropolitanas, que já há anos mostra sinais de saturação.

Afinal menos carros em estradas significa menos poluição e menor acidentes.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

6 Comentários deste post

  1. Chega ser cômico, até meados da década de 90 SP ainda tinha uma malha ferroviária com transporte de passageiros bem considerável. Ai acontece o ridículo sucateamento proposital, “destruindo” tudo o que se tinha…
    E agora pra voltarem com um pequeno trecho, fazem isso como se estivessem fazendo algo super fantástico, quando se trata nada mais do que uma mera obrigação. Um estado como SP não ter transporte ferroviário pelo seu interior é uma piada de muito mal gosto.

    E olha lá que ainda tenho muitas dúvidas se isso mesmo sairá do papel, só acredito quando tiver em operação mesmo.

    Felipe Luchiari Velber / Responder
  2. Se querem aproveitar a malha atual, é mais fácil exigir como contrapartida para as atuais concessionarias que detém os trechos.
    Elas não querem renovar? É só entubar a condição de reativar o transporte regular de passageiros.

    Araujo / Responder
  3. Acho que a pergunta tá errada, não temos um projeto para tirar do papel, o que temos é uma vaga idéia.

    Nunca foram apresentados os traçados, não se sabe como serão feitas travessias e nem onde serão as estações, tampouco a integração das estações com a malha urbana das cidades. É tudo um jogo de cena ridículo.

    Rafael H Oliveira / Responder
  4. Essa proposta já foi mostrado em 2013 começou as obras da linha 13º Jade.
    Enfim inaugurou a linha 13º jade e mais de cinco anos se passaram e nada. So promessa política.

    Leandro / Responder
  5. Só acredito vendo o trem rodar!!
    o Araujo tem razão, se a Vale explora minérios e como cláusula mantém os trens diários de passageiros de BH a Vitória na EFVM e de São Luis/MA até Parauapebas/PA na EF Carajás, aqui podiam muito bem exigir uma linha operacional para as renovações das operadoras de carga, já que a Rumo traz tanta soja lá do MT e usa o estado de SP de passagem, deveria ao menos oferecer um serviço em troca. Ou terceirizar, sei lá.
    Aliás, não tem trem regional por pura safadeza mesmo do governo:
    -Sabiam que o trecho de concessão da CPTM na linha 8 VAI DA JÚLIO PRESTES ATÉ MAIRINQUE. De Amador a Mairinque Está tudo abandonado e podiam ao menos fazer operar um trem ali, pois até 98 existia. É verdade sim e eu posso provar.
    -A extensão Estudantes a São José dos Campos está sub utilizada e em Jacareí os trilhos foram arrancados.
    -A linha 9 ia para Santos no passado, se juntava a Mairinque-Santos em Evangelista, e entre esta e Grajaú roubaram até os trilhos.
    -A linha 10 é só engatar na locomotiva de serra e pronto você leva o trem para Santos. É bem mais pratico que a ideia mirabolante que o governo tinha de construir um túnel saindo do Ipiranga com 70km (isso mesmo) escavados na serra para fazer a descida a 150km/h. Um projeto natimorto, que nenhuma PPP nem concessionária nem daqui nem da China iria topar realizar.

    Rafael de Souza / Responder
  6. Verdade que alguém acredita mesmo em João Doria, aquele que era prefeito e abandonou tudo para se candidatar a governador e, podem ter certeza, agora almeja a Presidência da República? Os trens intercidades vão sair durante seu governo da mesma forma que ele acabou com a Cracolândia…. E é do PSDB, partido que governa o Estado de SP há mais de 20 anos e é o responsável pelo abandono dos trens de passageiros no Brasil, durante o governo FHC! Tem que ser mais crente que o Malafaia para acreditar nessa balela!

    Maurilio / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.