Secretário de Transportes e Presidente da CPTM falam ao Via Trolebus sobre planos da Companhia

O secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, e o presidente da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM receberam nesta terça-feira, 22 de janeiro, páginas especializadas em mobilidade urbana, e o Via Trolebus esteve presente.

Na ocasião foram abordados temas que dizem respeito operadora dos trens metropolitanos. O secretário chegou a afirmar que no passado, a “CPTM não teve prioridade, e que agora tem”.

Camelôs

Foi discutido sobre o problema do comércio ilegal nos trens da CPTM. De acordo com o presidente da companhia,
dificuldades com contratos existentes de segurança impedem uma maior efetividade na coibição da pratica. No entanto, Moro disse que a empresa tem como meta reduzir a venda ilegal de produtos nos trens, e que devem haver conversas com secretaria de segurança.

Extensão da Linha 13-Jade

Segundo Pedro Moro, dos planos de extensão da Linha 13-Jade, o que está mais encaminhando é da ferrovia rumo ao bairro de Bonsucesso, em Guarulhos. Já na outra ponta, rumo ao Ipiranga, será mais a longo prazo. Moro, cita entretanto, possíveis dificuldades, como um projeto da terceira pista do Aeroporto, que poderia dificultar a extensão dos trilhos.

Trens novos da Linha 13-Jade

Pedro Moro disse também que até o final do primeiro semestre deste ano, a companhia espera testar o novo trem da linha 13. A CPTM comprou 8 trens do consórcio Temoinsa-Sifang, da série 2500.

Contratos de energia 

O presidente da CPTM contou que no final da década passada, houve investimentos expressivos na CPTM, mas que nos últimos anos por conta de restrições financeiras, alguns destes contratos não conseguiram ter êxito.

Moro destaca que existe um plano de investimento para os próximos, para sanar questões como de energia nas linhas.

Concessão 

O secretário Alexandre Baldy reafirmou o desejo de conceder as estações da CPTM, sem que a operação seja concedida. Disse também que Palmeiras-Barra Funda poderá será a primeira.

Outra informação que diz respeito aos Trens Intercidades e a Linha 7-Rubi, é que com a entrada dos serviços de média distância, o perfil dos trens paradores pode mudar, o que confirma a possibilidade da Linha 7 entrar no pacote da Parceria Publico Privada – PPP dos trens regionais.

Linha 9 – Esmeralda

O presidente da CPTM contou aos blogs que a sessão pública para abertura dos envelopes referente a uma licitação do lote 2 da obra entre Mendes e Varginha, deve ocorrer na quinta-feira, 24 de janeiro. Moro não se comprometeu com prazos de entrega da extensão até Varginha. Este contrato é o úlimo que falta ser assinado para a expansão da linha 9. Outros 7 já foram assinados e já estão sendo executados.

Disse também que a CPTM finaliza estudos para a iniciativa privada tocar uma nova parada no trem da marginal, a estação João Dias.

Linha 10 – Turquesa

Moro confirmou também que estão nos planos da companhia a compra de novos trens para a Linha 10-Turquesa, que liga o Brás até Rio Grande da Serra.

Nota: nosso agradecimento ao Igor Roberto, da Rede Noticiando, que foi parte importante neste encontro.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

6 Comentários deste post

  1. Tentar aproximar ao máximo a CPTM a serviços e estruturas encontrados no Metrô pode ser uma boa saída, a qual permite inclusive, sob o ponto de vista político, conseguir uma visibilidade mais rápida acerca dos projetos, tendo em vista que uma obra de uma linha naturalmente supera um mandato. De qualquer forma, a melhoria no serviço metropolitano de trens é fundamental para que o serviço intercidades possa dar certo. Serão sistemas que vão compartilhar do mesmo trajeto e problemas estruturais de um podem sem sombra de dúvidas comprometer o outro.

    Que sejam dados passos prudentes ao invés daqueles maiores que as próprias pernas.

    Lucas A. Santo / Responder
  2. Meta para reduzir as vendas(comércio ambulante) dentro dos trens?? Quem é que manda na CPTM? Os ambulantes é quem decidem? Vai pra lá presidente da CPTM!!!!

    Joel / Responder
  3. Estação João Dias? Genial. Agora o corredor Capelinha, João Dias Centro ganha importância.

    Levi / Responder
  4. Olá o diretor presidente da CPTM não conhece de segurança, infelizmente estão vendendo para ele gato por lebre, acontece que os vigilantes terceirizados não conseguem atuar no sistema ferroviário ao invés de terceirizar porque não abre concurso público para os agentes próprios, a situação é controlável sim, basta querer, colocar a culpa em contrato é lamentável, olha o efetivo dos agentes próprios com o efetivo da terceirizada , ai vocês vão perceber porque o problema persiste. Vou mais além os vendedores ambulantes acharam abrigo na CPTM vão entrar com uma ação de usucapião..

    Joao / Responder
  5. No tocante aos ambulantes a SEGURANÇA PRÓPRIA precisa se modernizar, não esta atuando como o Governador Dória discursou na posse, reluta em se atualizar no MODUS OPERANDI age ainda como no tempo da CBTU e FEPASA com isto os ambulantes avançam, pois usam todos os meios de TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO enquanto a segurança não! Esperamos que isto mude com a nova gestão caso contrário não vai adiantar contratar mais segurança terceirizado, pois é como o nosso governador disse é (MODERNIDADE e TECNOLOGIA), os colaboradores querem trabalhar com resultados basta serem ouvidos o que não ocorre hoje na segurança.

    Adalberto S. de Andrade / Responder
  6. […] Renato Lobo – Via Trolebus: Secretário de Transportes e Presidente da CPTM falam ao Via Trolebus sobre planos da Companhia […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.