Monotrilho

PPP para monotrilho de Salvador pode ser assinado nesta semana

O contrato de Parceria Público-Privada – PPP do monotrilho de Salvador deve ser assinado nesta semana. O processo estava barrado na justiça, mas a desembargadora Rosita Falcão, do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), derrubou a decisão do plenário do Tribunal de Contas do Estado (TCE), esta que por sua vez tinha suspendido a licitação.

O Consórcio Skyrail Bahia, que venceu a disputa, é formado pelas empresas Build Your Dreams – BYD e Metrogreen. A concessão tem o prazo de 20 anos.

O modal vai ligar a Ilha de São João, em Simões Filho, passando pelo Subúrbio soteropolitano, chegando até o bairro do Comércio. Haverá uma ligação com a estação do metrô do Retiro. A linha vai substituir o atual Trem do Subúrbio e terá 19,9 quilômetros de extensão, com 22 estações e capacidade para transportar cerca de 200 mil passageiros por dia.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

comentários

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Vão substituir uma linha ferroviária operacional, que está funcionando (mas precisa de melhorias), por um monotrilho… Desses que vivem dando problema em SP, que gastam o triplo para serem construídos e funcionam meia-boca, que andam a 50km/h trepidando e chacoalhando. Boa sorte, cidade de Salvador, vocês vão precisar…

    Obs: Quero ver o que vão fazer com a estação de Calçada em Salvador, que é a estação ferroviária toda original mais antiga do Brasil ainda em uso ferroviário (ela foi inaugurada em 28/06/1860).

    • Comentário infundado e sem conhecimento. O monotrilho, é a solução mais inteligente da atualidade, principalmente possibilitando as futuras expansões pretendidas, para outras cidades da região. Tenho conhecimento do assunto, assim como, utilizo este modal em sampa, e já tive a oportunidade de ser transportado por este sistema em diversas ocasiões.

      • Sr. Max, o senhor conhece Salvador? já andou de trem lá?
        Já deve saber então que o sistema deles parou no tempo em 1950, que desde então ninguém lá investiu nada em sinalização e material rodante. Eu conheço um funcionário que trabalha lá há 30 anos e nunca viu um trem novo, pois até o trem com ar-condicionado que o estado baiano implantou era na verdade um trem antigo modernizado, e ele não funciona atualmente por falta de peças.
        Os 3 trens “novos” deles são os antigos Tue`s 4800 usados da CPTM que são de 1959. Hoje de 3 trens dessa série somente um está ativo. QUER A VERDADE: Eles estão no fundo do poço com somente 2 unidades operacionais, sendo um ACF de 1961 e um toshiba de 1959. Isso mesmo somente 2 trens operacionais, o resto é para retirada de peças. ISSO FOI O LEGADO QUE O GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA DEIXOU.
        Agora, depois de deixar tudo detonado, vem com esse papinho de fazer monotrilho?
        É como se alguém vendesse um Chevette 86 para dar entrada em uma Maseratti!
        E imagino que o sr. More na ZL em SP, no pq são Lucas ou adjacências. Pois lá onde vão passar o “monotrilho de Salvador” é uma Zona Suburbana com gente muito pobre vivendo em casas extremamente humildes em uma região bem degradada. Usamo trem e pagam 50 centavos a passagem.
        Eu não sou contra monotrilhos, sou contra esses devaneios políticos nefastos que assolam esse país. O projeto original de Salvador previa um VLT elétrico, uma alternativa muito mais plausível e mais barata para implantação e mais próxima da realidade da região.
        Se começarem o monotrilho no lugar do trem urbano, não vão terminar, ficará um esqueleto na cidade, igualzinho aquele da linha 17 entre Congonhas e Morumbi.

        • Sr. Rafael, A primeira solução importante para viabilizar o atual meio de transporte do subúrbio de Salvador, justamente é passar para iniciativa privada. Tanto o governo Federal, quanto Municipal e/ou Estadual, não pode e não deve continuar pagando e/ou complementando o pagamento das contas, e prestando um péssimo serviço a R$0,50 das poucas pessoas que pagam. Inclusive, este recurso/dinheiro que mensalmente escoa para este setor (ferrovia/subúrbio) é pago por todos os contribuintes. Confesso que também sou saudosista, e sei que ( no tempo do bonde ) e da antiga R.R.F.L.B. as coisas eram melhores neste transporte. Existia a primeira classe nos vagões, não era permitido embarcar sem camisa, etc. Atualmente, a grande maioria, não substituiu o atual sistema por jegue ou bicicleta, devido ao trecho da ponte São João, que impossibilita a via neste aspecto. O pouco dinheiro arrecadado atualmente, não paga nem mesmo o consumo de energia elétrica que não é baixo, fora pessoal, setor jurídico, segurança, limpeza, manutenção, etc. A própria degradação e sucateamento que o senhor menciona, é fruto da gestão pública, conforme simples contabilidade (Receita/Despesas) Não irei citar outras mazelas neste post, pois o foco aqui é outro. Porém, entre as várias opções que temos, a escolhida certamente é a melhor e mais confortável para todos nós, principalmente com o alongamento do percurso até o comércio, sem falar na futura ampliação até a estação do retiro, a qual, já é mencionada no contrato.

          • Complementando sobre a escolha do monotrilho, trata-se de um modal com capacidade de acesso a um nível mais elevado ( coisa necessária ) por ocasião do trajeto para Estação do Retiro. Assim como, a indispensável elevação do solo por ocasião de uma ampliação para outras cidades, e também uma maior flexibilidade em manobras. Como usuário, eu tenho conhecimento e confiança no monotrilho, pois tive a oportunidade de convívio durante grande período da minha em outros países, principalmente na china. Informo ainda, que a diferença para melhor e mais confortável é muito grande, e será uma experiência surpreendente para a nossa cidade, alcançando uma valorização imediata, principalmente do subúrbio de salvador.

          • Sr. Max, Que bom que foi a China e andou no sistema de monotrilhos de lá. Eu imagino que lá na China as coisas funcionam.
            Aliás, tomara que tudo o que foi comentado em seu post se realize. Que consigam melhorar o transporte em Salvador
            Mas eu estou percebendo que todavia o sr. não entendeu a minha fonte de questionamento e já sei o porque: O sr. Não incluiu na sua conta o FATOR BRASIL!
            O fator Brasil é muito simples: algum político brasileiro vem a público e apresenta uma SOLUÇÃO MARAVILHOSA que atenderá 100% das expectativas e será construída de forma rápida. Aí, na verdade, acontece alguma coisa e essa “solução maravilhosa” não vinga. Citando exemplos: Fura-fila em SP, Linha 17 metrô, PPP Linha 6, TAV Rio-SP, Ferrovia do aço, Ferrovia Transnordestina, Linha 18, VLT Cuiabá, VLT Macaé, Linha 15 até Cid. Tiradentes, linha 3 metro Rio (passando por baixo do mar), Linha de trem intercidades SPxSantos com um túnel de 60km saindo do Ipiranga e chegando na baixada (essa é a mais mirabolante de todas!!) Vê? entende aonde quero chegar?
            E O QUE ME PREOCUPA é que estão prometendo um monotrilho em cima de uma LINHA QUE JÁ ESTÁ EM OPERAÇÃO DE TRENS URBANOS. Ou seja, vão parar a linha, vão arrancar os trilhos e sabe Deus por quantos meses, para vir com a solução maravilhosa! O monotrilho Salvador!!!! Um projeto que é fraco em detalhes. Um projeto que não expõe nem o que vai ser feito sobre a Ponte Metálica de Plataforma e nem como vão fazer para transpor os Túneis de Piripiri (o túnel baixo é o mais antigo do Brasil), e não explicam o que farão com a estação da Calçada, pois a sua descaracterização acaba por modificar inclusive o prédio que é patrimônio daquele bairro. Já vi nesse site explicando que as vigas ficarão a 3m de altura (que porcaria de altura é essa?)
            Ao contrário do monotrilho da linha 15 que o sr. comenta, esse não sera construído a partir do nada, esse será feito em cima de um transporte de massa já existente. Agora, se o governo estadual quer privatizar a CTB (a empresa do trem urbano), pouco me importa, se quer fazer um monotrilho, Calçada-Retiro, Que faça o que quiser! Agora, retirar o trem da linha Calçada x Paripe, desmanchar a ferrovia e esperar o monotrilho (ao invés de moderniza-la ou usar o VLT), é a pior idéia de uma longa lista de piores idéias.

          • Fazendo um paralelo, eu lembro bem daquele dia, eu estava lá. Foi em maio de 1999, quando o trem Santos – São Vicente – Samaritá foi desativado pela CPTM. Deficitário, antigo, era mal cuidado e cheio de problemas. Falaram naquela época que iriam fazer o VLT no lugar daquele trem, Inclusive ele parou usando esse pretexto! Em 2007 retiraram os trens cargueiros da linha, para a construção do famigerado VLT da baixada santista. No meio do caminho, cogitaram até avenida expressa e até BRT! depois disso, Demoliram metade da bela estação de Ana Costa e o pátio da ferrovia virou um Hipermercado Extra… LEVOU 18 ANOS PARA INAUGURAR METADE DA LINHA!! Somente a inauguraram em 2017, e ainda não tem previsão para o VLT finalmente chegar a Samaritá e concluir o que começaram naquele maio/99, há vinte anos atrás…. Experimente ver como é bacana pegar uma porcaria de lotação, espremida de gente, no bairro de Samaritá para chegar ao centro de São Vicente.
            Vamos torcer para que o trem de Salvador passe sim por melhorias, mas que não aconteça em Salvador isso que aconteceu em Santos.

  • Sr. Rafael,

    A empresa que vai executar esta obra, já prevê uma gama de obstáculos técnicos que serão resolvidos no decorrer dos serviços, e na proporção que se apresentem. Sempre em parceria com o governo, e com pessoas altamente qualificadas e experientes no assunto. Quanto ao prazo, li que serão 24 meses, para conclusão.
    O aporte do capital a ser empregado, já está assegurado. Existindo então, grande interesse e responsabilidade na finalização desta etapa da obra, para que ocorra o início das operações deste tramo, com a maior brevidade possível.
    Atualmente, temos um governador e um prefeito, que ocupam posições de destaque entre os melhores do Brasil, já estando inclusive referendados, por gestões anteriores. Quanto a sua dúvida referente a ponte São João, certamente será requalificada de maneira satisfatória, para atender ao novo sistema. Esta minha previsão, deve-se ao fato de não existir outra opção para este ítem. As duas outras dúvidas que o senhor comentou, arriscarei um prognóstico, com o propósito de contribuir com esta nossa troca de idéias. Túnel em Periperi: provável demolição / Estação Calçada: requalificação, com preservação de pontos possíveis a serem mantidos.

    • Vamos lá então Sr. Max. Se o governo do estado da Bahia e o Consórcio Skyrail disseram que vão fazer, quem sou eu pra falar o contrário?
      Que arranquem tudo então, o trem, a linha, a ponte, o túnel e os funcionários.
      O tal do projeto do trem regional para Mapele, Candeias e Feira de Santana também vai acabar junto com a linha. Já era de se esperar né. Ninguém precisa mesmo, nem o governo estava a fim de fazer. Até porque eu em 35 anos nunca vi ninguém implantar um trem regional no Brasil. Só vi desativar esses trens até agora, isso sim eu tenho história. Então, que diferença faz…
      Particularmente eu não acredito que ficará pronto em 24 meses, afinal o Brasil é um país extremamente burocrático e sempre as obras acabam por atrasar. Nunca vi uma obra ser entregue no prazo aqui.
      Portanto, vamos falar para a galera de Paripe ir se acostumando com o busão.
      Se metade, eu digo metade, do que o Sr. disse aqui se concretizar para mim está bom. Daqui a 24 meses nos falamos, beleza?

  • Sou soteropolitano. Pego ônibus e metrô todos os dias. Não ando pelo Subúrbio, mas percebo que o monotrilho será uma ABERRAÇÃO. Sim, ABERRAÇÃO. Não consigo entender como se dará isso. As ruas do Subúrbio são estreitas, não são largas como a da Av.Paralela, que possuem estações de metrô e passarelas sobre os dois lados da via. Como vão ligar o monotrilho aos bairros, ainda mais por cima da atual linha férrea. Pretendo ler o projeto quando lançado, mas a logística vai ser caríssima. O atual trem do Subúrbio é péssimo, mas a linha férrea poderia ser reparada e mantida. É muito mais barato readequar do que destruir algo desse tipo. Já havia desde 2016 o projeto do VLT ali. Não sei porque abandonaram, sendo que já estava inteiramente pronto, só faltava a liberação da justiça! A paisagem do local vai ser completamente degradada. Não quero nem imaginar como será que vão fazer com a estação da Calçada, antiga, bela e clássica. Espero que não a desabem para elevar aberrações arquitetônicas de puro concreto armado. O Monotrilho pode ser mais fácil de expandir, mas é muito mais caro. O governo quer esbanjar dinheiro para o consórcio. A população dali não encontrará outras maneiras de locomoção. O que me aborrece é abandonarem a ideia do VLT, algo muito mais lógico.

Publicidade

Assuntos

Anúncios

Cadastre-se em nossa newsletter!