Monotrilho

Pesquisa mostra urgência de ligação sobre trilhos com o Aeroporto de Congonhas

Foto: Sergio Mazzi

“Quando o monotrilho da Linha 17 estiver pronto, os dois aeroportos de São Paulo estarão conectados à malha metroferroviária”. Esta frase foi repetida diversas vezes por autoridades, na promessa da nova ligação entre Congonhas até a estação Morumbi, que teve suas obras iniciadas em maio de 2013.

De lá para cá, diversos adiamentos e problemas afastaram a possibilidade de início de operações, e o passageiro ainda precisa se deslocar por meios tradicionais para acessar o segundo aeroporto mais movimentado do Brasil.

Nos últimos cinco anos, o transporte por aplicativo preencheu esta lacuna, entre muitas outras pela cidade e pelo país. De acordo com a última pesquisa Origem e Destino do Metrô, os passageiros que chegam ao Aeroporto usam sobretudo o transportes por aplicativos e táxis, além do carro particular.

Já o ônibus aparece como terceira maior opção entre os passageiros. O usuário conta com a linha 609J/10 Aeroporto – Metrô São Judas. A ligação conta com uma frota de cinco ônibus, com intervalo médio de quinze e viagens de vinte minutos, e veículos de piso-baixo.

Mas a tendência de perda de passageiros dos ônibus paulistanos é evidenciada nesta ligação sobre pneus. A linha teve redução no número de usuários na comparação dos três últimos meses de 2018 com o ano passado. De acordo com dados da Secretaria de Mobilidade e Transportes, a linha 609J/10 transportou entre 123.469 passageiros entre setembro e novembro de 2018, contra 141.544 usuários no mesmo período de 2017, representando uma queda de 13%.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Publicidade

Assuntos

Cadastre-se em nossa newsletter!