Recordar é viver

Associação resgata trens em Rio Claro

Nesse último final de semana, a Cidade de Rio Claro viu algo que não estava muito acostumada a presenciar. Uma carreta levando um trem entre ruas e avenidas da região central e nas vias de acesso para a Rodovia Washington Luís.

Na cidade que já abrigou a fábrica da lendária Gurgel Motores, a mais bem sucedida montadora automotiva 100% nacional, também já foi referência em termos de operação ferroviária, reunindo um grande pátio e uma oficina de manutenção de vagões e carros de passageiros das extintas Companhia Paulista de Estradas de Ferro e sua sucessora, mas não menos importante, Fepasa.

O pátio, de aproximadamente 218 mil metros quadrados, abrigava uma das divisões da Companhia Paulista, atualmente encontra-se dividido. Grande parte dele dedicada até hoje para a manutenção de vagões da Rumo Logística (atual concessionária da linha férrea) e outra parte, em armazenar carros, vagões e até as unidades do antigo VLT de Campinas já desativados.
Expostos à ações de vandalismo, intempéries e recentemente a um incêndio na porção desativada do pátio, alguns veículos perderam-se totalmente graças à ação do fogo.
Dentre os que se salvaram, um deles está o RI3354. Um raro exemplar de um Budd (mesma fabricante dos Frota A do Metrô de São Paulo), Série 500 na configuração de restaurante, ao qual foi resgatado pela Sorocabana – Movimento de Preservação Ferroviária nos últimos dias 30 de novembro e 01 de dezembro.

Junto dele, foi também transportado via operação rodoviária, o carro SI3272 (que operou como primeira-classe quando adquirido na década de 50 pela Estrada de Ferro Sorocabana), que estava aos cuidados da Rumo Logística, ao qual era destinado ao transporte da equipe da conservação de via permanente desde os tempos de ALL (América Latina Logística).

Içamento do carro RI3354 nas antigas oficinas de Rio Claro, para transporte sobre carreta até a cidade de Sorocaba.

 

A operação completa, que atingiu aproximadamente a marca de 60 horas de trabalho entre preparação dos carros, limpeza de terreno para acesso de maquinário, içamento, transporte via rodovia sobre carretas, descarregamento e posterior transporte via ferrovia já em Sorocaba, foi tocado por empresas contratadas via patrocínio e à mão de obra voluntária da Associação.

Os dois carros, quando restaurados, irão adquirir as características originais de quando foram importados pela Estrada de Ferro Sorocabana, em 1951 para compor o trem de luxo (São Paulo – Presidente Epitácio), mas dessa vez, para compor o trem turístico-cultural intitulado “Trem dos operários”, que percorrerá o leito da antiga Estrada de Ferro Elétrica Votorantim, onde percorriam bondes e trens de carga entre a Estação de Sorocaba e as instalações das industrias na cidade de Votorantim, interior de São Paulo.

Para tornar-se voluntário ou parceiro do projeto de restauração dos trens e acompanhar o trabalho de restauro de locomotivas, vagões e carros, basta acessar facebook.com/mpefsorocabana e entrar em contato com a associação.

Em declaração, o movimento chama aos simpáticos a causa a participarem do projeto “toda força voluntária e parcerias são bem-vindas.

Mensalmente, operações experimentais já ocorrem na ferrovia e possuem acesso controlado. Para comparecer, é preciso estar

Composição restaurada em operação no “Trem dos Operários”, em Sorocaba/SP

em posse de ingresso (verificar condições na página do movimento) e o passeio ocorre com uma locomotiva movida a vapor, construída em 1891 pela Baldwin Locomotive Works, que traciona um carro de passageiros semelhante aos que foram resgatados, construídos com capacidade de 60 passageiros, dotado com sistema de som e monitoria a bordo.

Informa a Associação, (de que) “É de extrema relevância e importância a preservação da história ferroviária a partir do resgate, restauro e operação de trens que serviram no passado e que vão se perpetuar no futuro por meio do turismo e da cultura.

Os trens, já transportados e agora sob os cuidados da Sorocabana, finalmente “foram para sua nova casa” e em breve, estarão disponíveis para o transporte turístico e cultural da região de Sorocaba/SP.

Sobre o autor do post

Rodrigo Lopes

Paulistano, formado em Logística e graduando de Tecnologia em Transporte Terrestre, sempre gostou de transportes e tudo o que envolve a mobilidade, transportes e planejamento urbano. Participa de projetos relacionados a preservação ferroviária, transporte não poluente e gestão pública. Criador do Boletim do Transporte em 2011, desde Abril de 2018, colabora com o Via Trólebus.

Publicidade

Assuntos

Anúncios

Cadastre-se em nossa newsletter!