CPTM

CPTM deve cancelar contrato de manutenção da série 2100

Imagem de Wesley Souza

A CPTM pretende anular um contrato milionário de manutenção de 48 unidades da série 2100, que operam na Linha 10-Turquesa [Brás – Rio Grande da Serra], com objetivo de evitar uma ação judicial por improbidade administrativa.

Segundo o Ministério Público Estadual – MPE, “é o reconhecimento da existência do cartel”, e então o órgão havia recomendado a medida.

A companhia diz em nota à imprensa que o contrato de R$ 220,2 milhões, assinado em março de 2013 com o consórcio TMT, formado pelas empresas Trail e Temoinsa, “não foi lesivo aos cofres públicos” já que houve “desconto de 33% na proposta vencedora”.

Uma nova licitação está em curso desde agosto. O cancelamento do contrato com o consórcio TMT só deve se dar após a contratação de um novo consórcio. Mas, a previsão é que só seja concluída em abril de 2017, quando vence o contrato sob suspeita.

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios