Metrô SP

Empresa tem até o fim do mês para retomar obras da linha 4

Higienpópois Moackenzie 3

Segundo reportagem do G1, o Metrô determinou que consórcio Isolux Córsan-Corviam, responsável pelas obras da linha 4 – Amarela, retome as atividades até o fim deste mês sob pena de rompimento de contrato. O Metrô vai se reunir com o Banco Mundial, financiador da obra, para discutir a questão nas próximas semanas. A empresa culpa o Metrô, do governo do estado, pelo atraso.

A reportagem cita relatos de funcionários da obra da estação Oscar Freire que dizem que batem o cartão e ficam sem nada para fazer durante todo o expediente.

O consórcio Isolux Córsan-Corviam diz que empresas contratadas pelo Metrô atrasaram a entrega dos projetos e isso aumentou o prazo da obra em 50%. A empresa diz ainda que o Metrô demora para aprovar serviços que não estavam no contrato inicial e que estes atrasos impactaram nos custos de pessoal, equipamentos e materiais. A empresa nega que haja cimento estragado.

O Metrô diz que o consórcio recebeu todos os projetos necessários para o andamento e airmou ainda que para vencer a licitação, que é de 2012, o consórcio Isolux Córsan-Corviam ofereceu um desconto de até 42% no preço sugerido e que, desde o começo, ficou desconfiado de que a construtora não conseguiria cumprir o combinado. Como o consórcio apresentou toda a documentação exigida, o Metrô se viu obrigado a aceitar o negócio.

Sobre o autor do post

Caio Lobo

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios