Imagem de Rafael Narchi
Metrô SP

ViaQuatro deve receber recompensação por atraso de estações

Imagem de Rafael Narchi
Imagem de Rafael Narchi

Que as obras da linha 4-Amarela já duram mais de 10 anos e não tem prazo para terminar todo mundo já sabe. Mas como fica a ViaQuatro, concessionária responsável pela linha, que quando assinou o contrato esperava ter todas as estações funcionando em 2010 e até hoje nada? A construção das estações é responsabilidade do Governo do Estado.

Devido a este problema, a CCR, responsável pela ViaQuatro, fechou um acordo com o Governo do Estado de SP e deve receber uma compensação por este atraso.

O valor “extra” chega a R$ 428,5 milhões. A solução negociada para o montante inclui o aumento do percentual que a ViaQuatro recebe da tarifa de cada passageiro que usa a linha 4-Amarela. O preço ao passageiro, no entanto, não vai aumentar.

Segundo o Metrô, “os valores ainda estão sendo avaliados e nada foi pago até este momento.” Ainda de acordo com a estatal, atrasos nas obras da segunda fase da Linha 4 não ocasionarão recomposição de equilíbrio econômico financeiro.

Além da compensação pelo atraso na fase um, a ViaQuatro acompanha o projeto desenvolvido pelo governo do Estado que prevê a criação de um trecho “extra” na linha. Pelo acordo atual, esse trecho é atendido por ônibus. A extensão entre Vila Sônia e Taboão da Serra também deve ser incluído no contrato da ViaQuatro, o que irá gerar uma futura negociação para aditivos.

Atualmente, o grupo CCR é o maior acionista da ViaQuatro, com 58% de participação. Além disso, a concessionária tem entre seus principais sócios a Odebrecht (por meio da Montgomery Participações, com 30%). Há ainda participação da japonesa Mitsui Co., da argentina Benito Roggio e da francesa RATP.

Sobre o autor do post

Caio Lobo

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios