Foto
Mobilidade Urbana

Trafego de veículos em excesso causa distúrbio de sono em SP

Foto
Foto: Fernando Stankuns/Flickr

O uso do automóvel em demasia na cidade de São Paulo não só apenas causa efeitos na mobilidade ou na poluição do ar. Ela pode causar danos ao sono dos moradores. É o que revela uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia (SBF). Os dados apontam que moradores do bairro de Pinheiros podem estar com distúrbios do sono graças à poluição sonora decorrente do tráfego intenso de veículos na região.

A pesquisa intitulada “O Mapeamento do Ruído Urbano e Seus Efeitos à Saúde da População” foi feita entre julho de 2013 e julho deste ano, e revelou que 75,6% dos entrevistados, moradores na região, consideram o próprio sono regular ou ruim, e 41,3% deles às vezes têm dificuldade para adormecer, enquanto 49,8% às vezes acordam durante a noite.

Entre as vias que a pesquisa atuou estão a Marginal Pinheiros, Avenida Rebouças, Rua Heitor Penteado, Avenida Brigadeiro Faria Lima e Rua Henrique Schaumann. Nesta região o nível de ruído pode chegar a 85 decibéis (dB), considerado como ambiente insalubre para o trabalho, de acordo com a legislação trabalhista, ou seja, “o ambiente de trabalho hostil à saúde, pela presença de agente agressivos ao organismo do trabalhador, acima dos limites de tolerância permitidos. Os níveis de barulho considerados aceitáveis vão até 55 dB durante o dia e 50 dB à noite.

A fonoaudióloga Karina Mary Paiva, coordenadora da pesquisa afirma que nem sempre percebe-se os problemas que os ruídos podem causar à saúde. “Mesmo que o ruído não incomode, temos uma alteração no organismo quando estamos expostos a ele. Muitas vezes as pessoas não associam, mas acordar durante a noite e tomar remédio para dormir pode estar relacionado a um excesso de ruídos”, conta.

A especialista aponta que outros estudos na Europa relacionam os ruídos causados pelo tráfego à maior incidência de hipertensão e infarto, e adianta que o mapeamento feito por ela, em São Paulo, é obrigatório em cidades europeias com mais de 195 mil habitantes, para que as autoridades possam planejar ações no sentido de diminuir a poluição sonora.

Os dados apontam ainda que 49,8% dos entrevistados se sentem incomodados ao exercerem atividades cotidianas como assistir à televisão, descansar, conversar e fazer tarefas que exijam concentração.

A pesquisa avaliou 75 pontos, contabilizando 20 horas de medição. Em todos os pontos, os níveis de ruído ultrapassaram os limites de 55 dB. Para o estudo ainda foram feitas 225 entrevistas domiciliares. Segundo Karina, um dos motivos para a escolha do bairro foi a presença de residências, mesmo o bairro sendo comercial e de trânsito intenso.

Com as informações de Agência Brasil

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios