Foto: Daniel Teixeira/Estadão
Metrô SP

Alckmin diz que houve ‘sabotagem’ e manifesta ‘solidariedade’ a usuários do metrô

Seguindo a linha do Secretário de transportes metropolitanos, o Governador Geraldo Alckmin também minimizou o problemas ocorridos na linha 3-Vermelha a atos de vandalismo. Nesta terça-feira (4), depois que uma composição precisou ser evacuada após apresentar falha no sistema de portas na estação Sé, os passageiros que estavam nos trens antes da parada central não aguentaram ficar presos entre as estações, e acionaram os dispositivos de emergência de 7 composições, e posteriormente, caminharam nas passarelas de emergência e nos trilhos. Houve confusão entre alguns passageiros mais alterados e funcionários do Metrô.

Foto: Daniel Teixeira/Estadão
Foto: Daniel Teixeira/Estadão

Apesar do sentimento de “solidariedade” que Alckmin fez questão de expressar aos usuários prejudicados, o governador afirma que uma “ação orquestrada” de grupos teria comandado o caos no sistema:

“Nossa solidariedade às pessoas que tiveram dificuldades, ontem, de poder voltar para casa. O que ocorreu foi o problema em uma porta que foi resolvido em menos de 10 minutos, mas, em seguida, quase dez botões emergência foram apertados simultaneamente e aí as pessoas descem na linha, que precisa ser desenergizada”, disse o governador. “E aí houve depredação. Não acredito que essas coisas sejam geração espontânea, precisa ser investigado”, completou Alckmin, que citou, para isso, as imagens de câmeras de segurança que podem ter captado a depredação.

Entretanto, muitos outros usuários afirmaram que ficaram presos por 40 minutos, as vezes até mais de uma hora sem qualquer orientação, conforme imagem divulgada de um usuário que questiona esta versão do Governador e do Secretário de transportes:
BftTJ93CIAAKeOh

Convenhamos que a tal “ação orquestrada” se de fato ocorreu, foi bem organizada. Nas palavras do Secretário Jurandir Fernandes, 7 trens tiveram seus dispositivos de emergência acionados quase que simultaneamente. Haja organização para os “indivíduos” se comunicarem entre si e organizar este grande “plano de conspiração contra o governo” ao mesmo tempo.

É tão mais fácil aceitar que as pessoas não aguentaram ficar presas por horas dentro dos trens que estavam desligados sem ar condicionado ou ventilação. Ou será mais fácil desviar o problema do metrô para o tumulto?

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios