Metrô SP

Linha 4 terá 15 novos trens coreanos

321488_332251403554300_1578875266_nA ViaQuatro vai continuar cliente da Rotem. Isto porque os 15 novos trens da Linha 4-Amarela serão fabricados pelo mesmo consórcio que construiu as 14 atuais composições, das empresas Siemens/Hyundai-Rotem, da Coreia do Sul. Tratam-se dos primeiros trem com sistema driverless (sem condutor) da América Latina.

De acordo com o presidente da ViaQuatro, Luís Valença, a escolha dos novos trens faz parte do contrato inicial firmado com o consórcio. Já sobre o prazo de entrega, Valença não informou datas e disse que os trens serão entregues em função da conclusão das novas estações da Linha 4, previstas para 2014. “Não faz sentido ter trem para ficar parado e nem trem faltando para a operação das novas estações”, explicou Valença ao dizer que os atuais trens atendem a demanda.

Metrô de Salvador

No mês passado, a CPC (Companhia de Participações em Concessões), empresa para concessões do Grupo CCR, do qual a ViaQuatro faz parte, venceu a licitação da PPP para construção, manutenção, compra de material rodante e operação do metrô de Salvador.

Para quem não sabe, a construção do metrô baiano teve inicio em 2000 e somente seis quilômetros entre a Lapa e o Acesso Norte foram construídos, mas jamais um passageiro foi transportado. Seis trens foram comprados do consórcio Mitsui/Hyndai-Rotem e aguardam seu destino na estação Acesso Norte. Os trens passarão por inspeção, que será definida pelo vencedor da licitação.

200810MC 157

Sobre a mesma escolha com a Rotem, o diretor da ViaQuatro explica que o contrato de Salvador exige índice de nacionalização e a chance dos trens serem comprados no formato da Linha 4, que são trens 100% importados, são mínimas. Mas com a parceria entre a Iesa e Hyndai-Rotem para montar a fabrica na área da Iesa, em Araraquara, existe a possibilidade de o grupo CCR adquirir os 49 novos trens para a capital baiana da fabricante coreana.

“Vai ganhar quem apresentar o melhor negócio. Apesar dele (fabricante Hyndai-Rotem) ter uma vantagem, ele precisa saber aproveitar a vantagem. Ele nos conhece e sabe que quanto mais uniforme a frota, melhor para todo mundo. As companhias áreas fazem isso. A Tam era notadamente Airbus, a Gol Boing. Evidentemente, essa vantagem o fornecedor tem que aproveitar e ser mais competitivo. Se não for mais competitivo, essa vantagem desaparece”, explicou Valença, ressaltando que a escolha do fabricante dos trens para Salvador não esta definida.

.

.

.

.

.

.

.

.

Trens da CPTM

O mesmo consórcio venceu concorrência para fornecer trens à Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Deverão ser fornecidos 30 trens, com oito vagões cada, totalizando 240 carros no valor de 788,199 milhões de reais. O projeto e fabricação deve ser executado em 36 meses.

O resultado desta compra da CPTM saiu em meio a investigações do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e da Polícia Federal sobre possível existência de práticas anti competitivas em licitações para aquisição de carros ferroviários, além da manutenção e construção de linhas de metrô e trens em São Paulo e no Distrito Federal.

Com as informações de Revista Ferroviária

hyundai-rotem_1

Sobre o autor do post

Renato Lobo

Paulistano, profissional de Marketing Digital, técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

Comente!

Clique aqui para postar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade

Anúncios